Tigre empata contra o Mirassol em clássico com arbitragem polêmica
Tigre chegou aos 19 pontos e fecha rodada na 11ª posição; gol anulado pelo árbitro e pelo VAR foi alvo de críticas
Foto: Higor Basso/Novorizontino - Soberano no início da partida, Aurinegro acabou prejudicado por gol anulado
Por Da Reportagem Local | 03 de julho, 2024

Em partida que contou com arbitragem que revoltou jogadores, comissão técnica e torcedores, o Grêmio Novorizontino ficou no empate de 1 a 1 com o Mirassol, no clássico regional pela 13ª rodada do Brasileirão da Série B, na noite desta terça-feira (2), no Estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte.

O Tigre do Vale abriu o placar com Fabrício Daniel, que chegou a marcar o segundo, mas teve seu gol anulado pelo árbitro Lucas Torezin, que interpretou uma falta de Paulo Vitor em Gabriel no início da jogada. Além do lance capital, o juiz distribuiu nada menos que sete cartões amarelos e um vermelho para os jogadores do Novorizontino.

“O que foi feito aqui hoje é uma vergonha, você chamar de arbitragem profissional o que foi feito tanto pelo juiz quanto pelo VAR, é uma vergonha, dois times que se propõe a jogar, jogam bola e ele só fez atrapalhar, parar o jogo. A anulação do gol é uma vergonha, hoje o nosso resultado foi alterado, o que se fez aqui hoje poucas vezes a gente vê. O juiz está a três metros do lance, sinaliza vantagem, a falta era nossa, e até quando chamou o VAR eu disse, fica tranquilo, que a falta era nossa, e de repente a gente é surpreendido. Então é só vergonha”, disse Eduardo Baptista. “Falta de critério, excesso de cartões amarelos, um árbitro totalmente perdido e um VAR que era pra apoiar só atrapalhou, então, é um conjunto muito ruim o que aconteceu aqui hoje.”

Se impondo em campo, o Tigre do Vale abriu o placar aos 8 minutos, quando Waguininho recebeu pelo alto na direita, invadiu a área e rolou para Fabrício Daniel, que dominou e mandou para o fundo das redes, 1 a 0. Dez minutos depois, Fabrício Daniel recebeu na área e mandou no canto direito para marcar, mas o VAR chamou o árbitro Lucas Torezin, que assinou a falta de Paulo Vitor, para revolta dos jogadores comissão técnica do Tigre.

Nos acréscimos do primeiro tempo, em escanteio da direita, Dellatorre completou desviou de Luiz Otávio e empatou o jogo. No final, Paulo Vitor teve a chance de colocar o Tigre à frente novamente, mas Alex Muralha defendeu.

Na etapa final, o Aurinegro teve menos oportunidades de marcar, chegou em chutes de Marlon e Neto Pessôa, mas ficou mesmo no empate de 1 a 1. Nos acréscimos, Paulo Vitor ainda foi expulso pelo segundo amarelo em outro lance que revoltou a equipe novorizontina. Agora, o Tigre se prepara para enfrentar o líder Avaí, na próxima segunda-feira (8), às 20 horas, na Ressacada, em Florianópolis. 

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional

Por Da Reportagem Local | 18 de julho de 2024
Jogo do Novorizontino terá ação especial da Campanha do Agasalho
Por Da Reportagem Local | 15 de julho de 2024
Novorizontino cede empate no Jorjão e recebe a Chapecoense na quinta
Por Guilherme Gandini | 14 de julho de 2024
Nadador catanduvense se destaca no Paulista e foca Jogos Regionais