Presidente da OAB-SP defende que entidade aja de maneira apartidária, mas sem omissão
Patricia Vanzolini participou da cerimônia de posse das diretorias da OAB de Catanduva e Urupês na manhã de sexta-feira
Foto: DIVULGAÇÃO - Patricia Vanzolini ressaltou a importância da proximidade da OAB com os profissionais do Direito
Por Guilherme Gandini | 29 de maio, 2022
 

A presidente da Ordem dos Advogados do Brasil seção São Paulo (OAB-SP), Patricia Vanzolini, participou da solenidade de posse da 41ª Subseção de Catanduva e da 201ª Subseção de Urupês, na sexta-feira, 27, no Teatro Municipal Aniz Pachá. Ao Jornal O Regional, ela falou sobre o contexto político e defendeu que a entidade aja de maneira apartidária, mas sem omissão.  

“A OAB tem que ser completamente dissociada, desligada da política partidária. Isso foi um erro muito grande do antigo presidente do Conselho Federal (da OAB), Felipe Santa Cruz. A gente tem que estar totalmente desvinculado da política partidária até para poder criticar quem quer que seja, porque nenhum governo, nenhum partido, nenhuma ideoogia está isenta de cometer abusos, de cometer erros. E a OAB tem que ser o fiscal dessa cidadania”, afirmou Patrícia.  

Por outro lado, ela ponderou que a instituição também não pode ser omissa. “Está no nosso estatuto que nós temos o dever constitucional e institucional de defender as instituições, o Estado de Direito e a democracia”, reforçou, citando como exemplo a morte de Genivaldo de Jesus Santos, 38 anos, dentro de uma viatura da Polícia Rodoviária Federal em Sergipe.  

“A Comissão de Direitos Humanos da OAB nacional, que é presidida por uma paulista, Silvia Souza, está intervindo, pedindo a imediata apuração. Isso não é uma questão de partido, é uma questão de civilização. Está na hora da gente parar com a polarização”, frisou.  

CAPILARIZAÇÃO  

Sobre a posse das novas diretoria da OAB de Catanduva e Urupês, Patricia Vanzolini ressaltou a importância da proximidade da instituição com os profissionais do Direito. “É uma instituição que cuida dos advogados – e  pra isso precisa ter capilaridade, estar em todo o estado e todo o Brasil, estar perto dos advogados –, mas também da cidadania da sociedade civil.”  

A presidente da OAB-SP mencionou, ainda, o papel assistencial desenvolvido pela ordem por meio das comissões. “Prestam assistência judiciária, atendem moradores em situação de vulnerabilidade, direito dos animais, violência contra a mulher, é uma gama de temas que a OAB atua perante a sociedade, por isso ela precisa estar ali, onde as pessoas moram”, salientou.  

Novo presidente da OAB Catanduva fala em continuidade 

O advogado Nezio Leite, novo presidente da OAB Catanduva, afirmou que dará prosseguimento ao trabalho realizado pelas gestões anteriores da subseção. A gestão para o triênio 2022/2024, tem como vice-presidente Andre Luis Monteleone, secretário-geral Alan Mauricio Flor, secretária-geral adjunta Leila Renata Ramires Masteguin e tesoureira Juliana Maiara Dias Feres. 

“A gente pretende dar continuidade ao que vem sendo feito há muito tempo, vem sendo desenvolvido um excelente trabalho em prol da nossa classe dos advogados. A gente sabe das dificuldades que aparecem todos os dias e a gente tem que trabalhar para melhorar cada dia mais, sempre respeitando os colegas, trabalhando com democracia”, reforçou Leite. 

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Rodrigo Ferrari | 07 de agosto de 2022
STJ recusa recurso de ex-vereador de Catanduva no caso das ‘rachadinhas’
Por Guilherme Gandini | 06 de agosto de 2022
"Políticos, em regra, precisam da corrupção para se reelegerem", diz Monica Rosenberg
Por Rodrigo Ferrari | 06 de agosto de 2022
Prefeitura gastará até R$ 112 mil em testes rápidos de Covid-19