Prefeitura paga meio milhão em apenas três meses para manter transporte coletivo
Repasses começaram em 2020, devido à pandemia, e já totalizam R$ 3,2 milhões
Foto: ARQUIVO/PREFEITURA DE CATANDUVA
Por Guilherme Gandini | 26 de abril, 2022
 

A Prefeitura de Catanduva injetou mais de R$ 500 mil no serviço de transporte público coletivo de passageiros em apenas três meses. Os recursos foram transferidos para a Auto Viação Suzano, concessionária responsável pelos circulares da cidade, de janeiro a março deste ano. O levantamento é do Jornal O Regional, com base em dados do Portal da Transparência.  

Quase todo o montante, pouco mais de R$ 460 mil, compõe subsídio financeiro instituído pela Prefeitura em 2020 para manter o sistema em operação diante da redução do fluxo de passageiros causada pela pandemia do novo coronavírus – na época, o fechamento do comércio e outros segmentos afastou os usuários do sistema de transporte.  

Foram R$ 170,9 mil em janeiro, R$ 149,1 mil em fevereiro e R$ 139,4 mil em março. Os R$ 42,2 mil restantes se devem à aquisição de passes escolares para os alunos da rede municipal de ensino do período noturno, referente a convênio de transporte escolar. Os dados do mês de abril ainda não constam no site.  

Nos anos anteriores, conforme o relatório, a empresa recebeu aportes mensais da Prefeitura que totalizaram R$ 1,2 milhão em 2020 e R$ 1,5 milhão em 2021, com intuito de manter os ônibus nas ruas. Os valores são definidos com base nos déficits diários da companhia, informados via ofício, com pagamentos feitos por transferência bancária.  

Em julho do ano passado, a ex-secretária de Trânsito e Transportes Públicos, Maria Cristina Pinheiro Machado Sanches, hoje gestora municipal de Turismo, afirmou que seria traçado um plano de retomada com campanha de incentivo ao uso do transporte coletivo. De lá pra cá, entretanto, apesar da ampliação de horários das linhas, nada foi feito neste sentido.  

O Jornal O Regional questionou a Prefeitura de Catanduva até qual data os aportes serão feitos e se há algum plano ou estudo em andametno para que o serviço possa se manter sem o subsídio público. Não houve resposta até o fechamento desta edição.  

RECLAMAÇÕES  

Quebra e problemas nos ônibus são reclamações corriqueiras entre os usuários do transporte coletivo de Catanduva. Na semana passada, uma passageira registrou a situação do veículo que atendeu o bairro Nova Catanduva, que tinha bancos rasgados, danificados e sujos.  

O assunto também foi abordado na sessão da Câmara. Usuárias utilizaram  a tribuna para reclamar da quantidade de vezes que os ônibus quebram durante o itinerário. Os parlamentares devem propor a abertura de uma CEI – Comissão Especial de Inquérito para apurar o caso. 

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Rodrigo Ferrari | 18 de agosto de 2022
Projeto de reestruturação deve ir para a Câmara nos próximos dias
Por Guilherme Gandini | 18 de agosto de 2022
Empresa de Jundiaí faz menor proposta para remoção do lodo da ETE
Por Rodrigo Ferrari | 18 de agosto de 2022
Professores protocolam contraproposta salarial da categoria na Prefeitura