Pescador de Catanduva localiza e salva três pessoas à deriva em Sales
Homens ficaram agarrados a uma boia de sinalização, justamente onde Bilú enrolou um fio de telefone que poluía a água dias antes
Foto: Reprodução/Redes Sociais - Pescador localizou homens e ajudou os Bombeiros a chegarem até o local
Por Guilherme Gandini | 26 de março, 2024

Três pessoas foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros de Novo Horizonte, na manhã de domingo, 24, depois que um pescador de Catanduva, o conhecido Bilú, 64, que trabalha na área de refrigeração, os localizou agarrados a uma boia de sinalização. A lancha que o grupo estava afundou no sábado à tarde, por volta das 16 horas, e eles passaram a noite toda lutando pela vida. Eles são da cidade de Bady Bassitt e foram encontrados próximo à Praia do Torres.

O final de semana foi marcado por chuva, vento e ondas no rio Tietê, que banha o município turístico. O cenário afastou a maioria dos pescadores, mas Bilú confidencia que algo o levou para aquele ponto das águas, a boia número 23. Recentemente, ele encontrou um fio de telefone poluindo o rio e, sem conseguir retirá-lo, o amarrou justamente naquela boia, apostando na retirada futura. Foi justamente aquele rolo de fio que ajudou os pescadores a sobreviverem.

“Eu não ia pescar, mas algo me levou para lá. Passamos próximo, mudamos o trajeto, mas depois decidi voltar para aqueles lados. De longe, vimos a boia tombada e achei que algum peixe pudesse estar enroscado. Ao me aproximar, vi um braço balançando pedindo socorro. Foi aí que contamos – eles eram um, dois e três”, relata o pescador. “Foi Deus que me levou até lá.”

Bilú pesca na região de Sales há mais de 30 anos e tem rancho no local. Ele estava acompanhado por sua sogra, de 88 anos. Depois de localizar os três pescadores, fez contato com sua esposa, que ligou para o Corpo de Bombeiros. Foi necessário longo tempo de espera – com ligações para os Bombeiros de várias localidades até cair em Novo Horizonte, que tomou as providências.

O pescador permaneceu junto aos náufragos, mas confidencia que não seria possível retirá-los em seu barco. “Ficamos por perto para dar apoio e acalmá-los. Eles estavam bastante fracos e relataram que estavam orando.” Para auxiliar os Bombeiros, Bilú retornou à praia e depois seguiu com seu filho no barco até o local, para que o resgate fosse feito. Ele conta que os profissionais tiveram muita dificuldade para retirar os homens da água, devido às ondas fortes e ao vento.

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Da Reportagem Local | 19 de abril de 2024
Urupês reduz número de larvas de dengue e alcança índice satisfatório
Por Da Reportagem Local | 19 de abril de 2024
Espetáculo leva informação sobre a dengue a alunos de Santa Adélia
Por Da Reportagem Local | 18 de abril de 2024
Potirendaba abre inscrições de processo seletivo para área da educação