Mortes no trânsito aumentam 54% em Catanduva; região tem queda
Foram 11 óbitos no acumulado de janeiro a outubro de 2022, contra 17 no mesmo período deste ano
Foto: iStock - Das 17 mortes no trânsito ocorridas até outubro, 8 foram de motociclistas
Por Guilherme Gandini | 26 de novembro, 2023

De acordo com os novos dados do Infosiga SP, sistema do Governo do Estado gerenciado pelo programa Respeito à Vida e coordenado pelo Detran-SP, Catanduva registrou alta de 54% no número total de mortes no trânsito. Foram 11 óbitos no acumulado de janeiro a outubro de 2022, contra 17 no mesmo período deste ano. O número já é o mesmo do ano passado inteiro.

Em 2022, foram 4 óbitos em janeiro, 1 em fevereiro, 1 em março, 1 em julho, 2 em agosto e 2 em outubro, totalizando 11 no período. Depois seriam mais 4 em novembro e 2 em dezembro, alcançando 17. Este ano, a cidade registrou 1 morte em janeiro, 2 em fevereiro, 1 em março, 3 em abril, 3 em maio, 1 em junho, 1 em julho, 4 em agosto e 1 em outubro, totalizando 17.

Levando em conta apenas os números deste ano, O Regional destrinchou os dados no portal Infosiga SP. Das 17 mortes no trânsito, 8 foram de motociclistas, 6 de pedestres, 2 de pessoas em automóveis e 1 caso enquadrado como “outro”. Além disso, 64,7% dos óbitos ocorreram no hospital, 29,4% no local dos fatos e 5,8% em outras localidades não indicadas.

Quanto ao perfil das vítimas, o Infosiga SP indica que 82,3% eram do sexo masculino e 17,6% do feminino. Além disso, 64,7% eram condutores e 35,2% pedestres. Entre os casos, foram 6 mortes por atropelamento, 5 por colisão, 2 por choque, 3 indicados como outros e 1 não disponível.

ANO A ANO

Na série histórica disponibilizada pelo Infosiga SP, é possível constatar que o número de mortes no trânsito de Catanduva despencou a partir de 2015, quando houve 36 óbitos no ano, para 28 ocorrências em 2016. No ano seguinte, 2017, foram 21 mortes e, em 2018, apenas 11.

Os indicadores voltaram a subir a partir daí: foram 19 óbitos em 2019 e 21 em 2020. No ano de 2021, em plena pandemia, foram 14 vítimas fatais e, no ano passado, 17.

NO TOPO

Levando em conta todos os números desde 2015, o maior número de mortes foi de motociclistas: foram 66 ao todo, contra 63 de pessoas em automóveis e 25 pedestres. A faixa etária que mais teve vítimas no trânsito de Catanduva foi a de 30 a 34 anos, com 24 ao todo.

Catanduva na contramão da região e do estado

Os números de Catanduva vão na contramão do resultado obtido pela região de São José do Rio Preto como um todo, no comparativo de janeiro a outubro de 2022 e 2023. De acordo com o Infosiga SP, a região registrou queda de 5% no número total de mortes no trânsito. Foram 226 óbitos nos dez primeiros meses deste ano, ao passo que no mesmo período de 2022 foram 237.

Quanto aos óbitos de motociclistas da região de Rio Preto, houve queda de 50% no último mês, em comparação a outubro de 2022. No mesmo modal, mas na comparação entre o acumulado de janeiro a outubro de 2023 e o mesmo período do ano passado, houve aumento de 4%.

O índice de redução de óbitos na região é muito parecido com o verificado no Estado de São Paulo, que registrou diminuição de 4,8% no número total, no mesmo comparativo temporal. Foram 4.390 óbitos de janeiro a outubro, contra 4.611 no mesmo período do ano passado.

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Stella Vicente | 28 de fevereiro de 2024
Grupo de escoteiros de Catanduva promove curso para voluntários
Por Stella Vicente | 28 de fevereiro de 2024
IFSP encerra hoje as inscrições para cadastro reserva de vagas remanescentes
Por Guilherme Gandini | 27 de fevereiro de 2024
Diretoria da Abracrim tem advogado de Catanduva pela primeira vez