Mahatma Gandhi atrasa reajuste salarial após acordo com sindicato
Correção salarial e no vale-alimentação deveriam ter sido feitos no 5º dia útil deste mês
Foto: Divulgação - Mahatma Gandhi mantém dois contratos milionários com a Secretaria de Saúde
Por Guilherme Gandini | 11 de julho, 2024

O Sindicato da Saúde de Catanduva firmou acordo para reajuste de cerca de 6% dos salários dos funcionários do Hospital Mahatma Gandhi, assim como das unidades de saúde do município e da UPA – Unidade de Pronto Atendimento, que são geridas pela organização de saúde. O pagamento atualizado estava previsto para o 5º dia útil, mas a correção não foi feita.

Na data, segundo o órgão sindical, também deveria ter sido aplicado o reajuste pactuado para o vale-alimentação, que passaria de R$ 165 para R$ 280 – o que também não aconteceu.

“Apesar de procurar informações junto à entidade, até o momento o Sindicato de Saúde não recebeu informações sobre quando os atrasados dos salários e o ticket alimentação serão pagos. Já se passaram 5 dias do prazo legal para o pagamento e a direção do hospital não se manifestou sequer comunicando os funcionários sobre a falta do reajuste”, informou, ontem, o sindicato.

Com base nas informações, O Regional questionou o Hospital Mahatma Gandhi. A resposta, em nota, foi a seguinte: “O Setor Jurídico informou que se trata apenas de uma questão operacional, e que o RH do hospital já está rodando o complemento da folha, que a diferença será repassada aos colaboradores provavelmente ainda essa semana.”

A reportagem confirmou junto ao sindicato que informação semelhante sobre a folha complementar foi repassada pelo Hospital Mahatma Gandhi, ontem, depois que O Regional questionou o tema. Contudo, o prazo indicado para o pagamento da diferença salarial teria sido o dia 25 de julho, com o retroativo do cartão alimentação ficando para 10 de agosto.

CONTRATOS

O Hospital Mahatma Gandhi firmou novo contrato com o município de Catanduva para gerenciamento e execução de ações e serviço de saúde que englobam as unidades de saúde e demais pontos de atendimento, como Farmácia Municipal, Caps, CEM, Consultório na Rua, Residência Terapêutica, Centro de Reabilitação Integrado, Central de Transportes, entre outros.  

A organização receberá R$ 38,7 milhões para desenvolver o trabalho, ao longo de um ano. O contrato terá vigência de 1º de junho de 2024 até 31 de maio de 2025, com repasses mensais de cerca de R$ 3,2 milhões. A primeira parcela inclusive já foi liquidada.

Em paralelo, o Mahatma Gandhi mantém contrato com a Secretaria de Saúde, desde 2020, para gerenciamento da UPA. Recentemente, foi autorizado o 14º aditivo, com prorrogação por 12 meses e aumento de 3,6%, elevando o valor mensal pago pelo município para R$ 1,6 milhão. 

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Guilherme Gandini | 18 de julho de 2024
Justiça fixa prazo para Câmara repassar contribuições ao IPMC
Por Da Reportagem Local | 18 de julho de 2024
Escolas da região recebem R$ 67 milhões em investimentos em 18 meses
Por Da Reportagem Local | 17 de julho de 2024
Catanduva e mais três cidades da região aderem ao Integra Resíduos