Leão Amigo contabiliza R$ 6 milhões destinados às entidades em seis anos
Campanha busca conscientizar que há potencial para elevar ainda mais o montante
Foto: Arquivo Pessoal - Nilton Vieira da Cruz propôs criação de comitê gestor para conduzir o projeto
Por Guilherme Gandini | 21 de maio, 2024

Levantamento apresentado pela campanha Leão Amigo mostra que foram destinados mais de R$ 6 milhões às entidades assistenciais de Catanduva, de 2018 a 2023, por meio do Imposto de Renda. O que chama a atenção, entretanto, é a evolução da arrecadação, partindo de R$ 115 mil, em 2018, e alcançando R$ 2,8 milhões no ano passado.

Os números foram exibidos em reunião com lideranças no início do mês por Nilton Vieira da Cruz, o Niltinho, presidente da Arcos – Associação e Rede de Cooperação Social e coordenador da campanha Leão Amigo. Ele também fez propostas para fortalecer o projeto, com a intenção e que a campanha se torne permanente.

O presidente da Arcos sugeriu a revisitação a todos os escritórios de contabilidade, apresentando o projeto e reiterando a importância do engajamento deles com seus clientes a fim de fazerem a destinação dos percentuais do imposto de renda para o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e Fundo do Idoso.

“Nessa questão ficou clara a importância da Delegacia do Conselho Regional de Contabilidade a recomendar a todos os contadores/contabilistas para a relevância desse projeto que beneficia crianças, adolescentes e idosos em situação de vulnerabilidade social”, reforça Niltinho.

Outra participação importante é a do curso de Ciências Contábeis do Imes na divulgação e apoio ao projeto, tendo como coordenador o professor Diego Turrisi, com plantões de orientação no Garden Catanduva Shopping Center, nos sábados do mês de maio.

Muito além do aumento expressivo obtido, segundo ele, de 2018 até 2023, Nilton ressaltou, ainda, que há potencial para arrecadação de mais de R$ 5 milhões ao ano. “Não é um valor a mais que se gasta, é um percentual do imposto de renda que fica nos fundos municipais”, destacou.

COMITÊ GESTOR

Nilton disse que, em razão de ter assumido a presidência da Arcos, terá muita limitação em coordenar o projeto, e propôs a criação de um comitê gestor da campanha a partir dos conselhos municipais. Garantiu que dará respaldo e transferirá todo o conhecimento adquirido ao longo desses 6 anos para a continuidade do trabalho.

Para reforçar a importância das destinações de todos que têm imposto de renda pessoa física e jurídica aos fundos municipais, ele citou as organizações da sociedade civil atualmente inscritas nos conselhos e que podem se beneficiar dos recursos.

A relação tem Apae, Paulo de Tarso, Lar da Criança Lola Zancaner - Projeto Viva Flor, Associação Pão Nosso, Casa de Apoio a Criança, Educandário São José, IDVC – Instituto dos Deficientes Visuais, Legião Mirim, Programa Criança Cidadão do Futuro, Projeto Pescar, Filhos da Graça - Recomeçar, Rasc - Rede de Assistência Social Cristã, Apeoj - Ortega Josué, Apia - Associação Irmã Ângela, Renapsi, Corujas do Bem, AVCC, Rede Cidadã, Recanto Monsenhor Albino, Recanto Nosso Lar, Vila São Vicente de Paulo.

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Guilherme Gandini | 23 de junho de 2024
MP pede interdição de escolas sem alvará; 13 ainda estão sob risco
Por Da Reportagem Local | 23 de junho de 2024
Governo de SP antecipa R$ 1 milhão para reforçar saúde em Catanduva
Por Guilherme Gandini | 21 de junho de 2024
Prefeitura doa área para construção de subestação de energia elétrica