Ipem-SP orienta sobre a compra e uso da panela de pressão para evitar acidentes
Toda panela de pressão produzida e comercializada no país deve contar com o Selo Inmetro para assegurar segurança  
Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL - Um dos fatores de risco das panelas de pressão é o acúmulo de resíduos dentro da válvula, que acaba entupindo
Por Da Reportagem Local | 11 de junho, 2022
 

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, que tem como objetivo defender o consumidor, orienta sobre o uso adequado da panela de pressão para evitar acidentes e como ficar atento na hora da compra desse objeto comum e muito presente no cotidiano da sociedade, seja em residências, instituições públicas ou privadas, restaurantes, lanchonetes, entre outros. Sua principal função é o preparo de alimentos, por meio de elevada pressão interna.   

Desde março de 2010, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) passou a exigir a certificação, por parte do fabricante, das panelas de pressão, com a obrigatoriedade do Selo de Identificação da Conformidade, o que assegura que o produto foi fabricado observando os requisitos mínimos de segurança. Há quase dez anos, toda panela de pressão produzida e comercializada no país deve contar com o Selo Inmetro.   

“É importante o consumidor ficar atento no momento da compra da panela de pressão e na que está em uso, evitando acidentes ao observar informações sobre o uso desse objeto tão presente no dia a dia. O Selo Inmetro indica que a panela de pressão passou por testes laboratoriais e nos ensaios obteve adequado grau de confiabilidade, em conformidade com as normas técnicas brasileiras. Se uma panela de pressão não for produzida com requisitos mínimos de segurança, ela se transforma em um produto perigoso”, informa o superintendente do Ipem-SP, Ricardo Camargo.  

Os fabricantes têm investido em panelas cada vez mais seguras com alumínio reforçado, tampa externa, anel de silicone e válvulas para controlar a pressão e diminuir o perigo. Contudo, é essencial que o consumidor esteja atento na hora da compra: é importante observar a presença do selo e exigir a nota fiscal.  

MANUTENÇÃO E BOM USO 

É importante que o usuário observe sempre o estado da borracha, do pino da pressão e da tampa da panela de pressão. Além disso, ao fazer a higiene do produto, observar se não há rachaduras na borracha, se está secando ou quebrando. Caso necessário, faça a substituição das partes que não estão oferecendo segurança ao uso.   

Um dos fatores de risco é o acúmulo de resíduos dentro da válvula, que acaba entupindo, o que impede a saída do ar, que garante pressão e segurança ao uso da panela.  “A válvula tem a validade de cinco anos e, após o período, é importante que o consumidor faça a substituição”, afirma o técnico Bruno Santana, da área de qualidade da AEM.   

É válido destacar que o consumidor deve priorizar a escolha do produto com capacidade a atender a demanda: a panela de pressão cheia demais pode entupir a válvula de segurança, o que é muito perigoso. 

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional

Por Guilherme Gandini | 22 de maio de 2024
No dia de Santa Rita, paróquia apresenta projeto da Igreja São Sebastião
Por Guilherme Gandini | 22 de maio de 2024
Campanha Maio Amarelo tem abordagens no pedágio e base policial
Por Da Reportagem Local | 22 de maio de 2024
FPA participa de encontro sobre doação de órgãos e transplante renal