Em três meses, Catanduva iguala casos de dengue do primeiro semestre do ano passado
Março teve aumento de 182% com relação a fevereiro e de 398% na comparação com março de 2021
Foto: PREFEITURA DE CATANDUVA - Equipe faz trabalho contínuo de bloqueio, nebulização e vistorias
Por Guilherme Gandini | 03 de abril, 2022
 

 

Os casos positivos de dengue explodiram no mês de março, em Catanduva. A alta, já alertada pela população devido ao fluxo de pacientes nas unidades de saúde e laboratórios de exames, foi confirmada pelo boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde na sexta-feira, 1º. 

De acordo com o relatório, o município registrou 38 diagnósticos positivos em janeiro, 88 em fevereiro e 249 em março. O resultado do terceiro mês do ano representa aumento de 182% com relação a fevereiro e de 398% na comparação com março de 2021. 

Outro dado constante na planilha é que a soma do trimestre equivale a todo o primeiro semestre do ano passado: foram 378 casos de janeiro a junho de 2021, ao passo que este ano os três primeiros meses já contabilizam 375 confirmações. Em todo o ano passado, foram 456. 

Ainda conforme o boletim da Secretaria de Saúde, há indicativo de crescimento dos índices pela frente, já que há, ainda, 189 exames aguardando resultado, sendo 188 referentes a março. 

“O trabalho de combate ao Aedes está sendo intensificado no município. Estamos com ações ampliadas para a retirada de criadouros, com toda a equipe de combate ao Aedes em conjunto com os agentes comunitários de saúde”, afirma o secretário de Saúde, Rodrigo Neves. 

Ao longo do ano, a Equipe Municipal de Combate ao Aedes aegypti (EMCAa) realiza trabalho contínuo de bloqueio, nebulização, vistoria casa a casa e a retirada de criadouros em locais irregulares. Também são feitas ações nas escolas e campanhas de conscientização.  

Para a diretora de Vigilância em Saúde, Natália Costa, o atual momento epidemiológico deve servir de alerta. “Estamos em uma curva ascendente. As ações são fundamentais para conter o avanço da transmissão. O apoio da população é fundamental nesse trabalho”, frisa. 

 

HISTÓRICO 

 

Pelo relatório de 2021, o ápice das confirmações foi em maio, quando houve 134 resultados positivos, conforme a data dos primeiros sintomas. O primeiro semestre foi de números elevados, com 25 casos em janeiro, 25 em fevereiro, 50 em março, 80 em abril e 66 em junho.

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Rodrigo Ferrari | 18 de agosto de 2022
Projeto de reestruturação deve ir para a Câmara nos próximos dias
Por Guilherme Gandini | 18 de agosto de 2022
Empresa de Jundiaí faz menor proposta para remoção do lodo da ETE
Por Rodrigo Ferrari | 18 de agosto de 2022
Professores protocolam contraproposta salarial da categoria na Prefeitura