Educação de SP lança formação de combate à violência contra meninas e mulheres
Trilhas formativas pelo Centro de Mídias SP são voltadas para estudantes e profissionais da educação
Foto: ARQUIVO/GOVERNO DE SÃO PAULO - Trilhas têm foco na prevenção e enfrentamento da violência doméstica, do abuso e exploração sexual no Brasil
Por Da Reportagem Local | 22 de junho, 2022
 
 

Começaram na terça-feira, 21, as Trilhas Formativas do programa 'Violência Contra a Mulher Não é Normal' pelo Centro de Mídias de São Paulo (CMSP). Serão duas formações, uma voltada para profissionais da educação e outra para estudantes do 8º e 9º anos do ensino fundamental e de todas as séries do ensino médio. As trilhas seguem até 5 de julho. 

A abertura, que contou com a participação da cofundadora e diretora executiva da organização suprapartidária Serenas, Amanda Sadalla, e coordenadora do CMSP e da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação do Estado de São Paulo (Efape), Bruna Waitman, foi realizada para os dois públicos simultaneamente pelos canais Gestão, Desenvolvimento Profissional 2, 8º e 9º ano EFAF, 1ª série EM, 2ª série EM e 3ª série EM. 

“Essa formação é fundamental para garantir que a escola seja um espaço seguro e acolhedor para todas e todos. Quando a gente fala de combate à violência contra a mulher, a gente está defendendo que nossas estudantes possam seguir qualquer um dos seus sonhos, que nas aulas de Projeto de Vida elas saibam que podem ser o que quiserem”, destaca Bruna Waitman. 

As Trilhas foram construídas pela Efape em parceria da organização suprapartidária serenas, que atua na garantia de direitos para mulheres e meninas, com foco na prevenção e enfrentamento da violência doméstica, do abuso e exploração sexual no Brasil.  

As formações fazem parte do programa da Seduc-SP, que tem como objetivo combater a violência contra meninas e mulheres em toda a rede estadual de ensino do Estado de São Paulo, dentre alunos, equipes escolares e profissionais das diretorias de ensino e órgão central.  

Destacam-se entre as ações do programa: formações presencial para equipes estratégicas para combater o desafio na educação; curso online para toda a rede estadual; informação para toda a rede estadual adaptada para cada público, com três guias específicos para cada público: crianças, adolescentes e profissionais da educação; aquisição de livros literários para a rede estadual: livros que discutam e combatam as violências contra mulheres de todas as idades; e investimento em iniciativas que combatam a violência contra a mulher: autorização e incentivo do uso do PDDE Paulista para atividades nas escolas. 

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional.

Por Da Reportagem Local | 26 de junho de 2022
Mostra de Sustentabilidade distribuiu mais de mil mudas
Por Da Reportagem Local | 26 de junho de 2022
Pedagogos podem assumir aulas na rede estadual de São Paulo neste semestre 
Por Guilherme Gandini | 26 de junho de 2022
Imes Catanduva abre inscrições para Vestibular Online com quatro cursos