Educação convoca mais aprovados em concurso para cargos de gestor
Efetivação de todos os aprovados deve ser concluída em setembro deste ano
Foto: PREFEITURA DE CATANDUVA - Creche escola do Glória V será uma das atendidas pelas novas nomeações
Por Rodrigo Ferrari | 05 de agosto, 2022
 

A Secretaria Municipal de Educação de Catanduva iniciou a convocação de mais candidatos aprovados no concurso para cargos de gestão nas escolas. Nesta fase, tomarão posse 11 novos diretores.

“Nessa soma está incluída a creche nova e também os cargos que derivaram dos desmembramentos e de duas exonerações a pedido, de pessoas que passaram em outros concursos e optaram por sair”, explica a secretária municipal de Educação, Cláudia Cosmo.    

A creche a que ela se refere é a Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Nelson Martins, localizada no Glória V. Já os desmembramentos dizem respeito a diretores e demais gestores que vinham ocupando o comando em mais de uma unidade de ensino. Com a medida, esses profissionais voltaram a atuar em uma só escola.    

Além dos diretores, tomarão posse dois coordenadores pedagógicos e dois vice-diretores. Se as expectativas da secretária se concretizarem, os demais aprovados no concurso não terão de aguardar tanto tempo até serem convocados. “A previsão é de que todo esse processo esteja plenamente concluído até meados de setembro”, afirma.    

ENTENDA O CASO   

A convocação dos profissionais, além de solucionar o problema dos acúmulos de escolas por um mesmo gestor, dá um fim ao drama de diversos candidatos classificados no concurso público realizado em 2018 e que não viam perspectiva de nomeação.    

A polêmica, porém, é mais antiga. Durante a gestão do ex-prefeito Geraldo Vinholi, o Ministério Público moveu ação contra a Prefeitura de Catanduva, questionando a nomeação de professores para postos de gestão, que eram tratados, na prática, como cargos de confiança dos governos.    

A prática, além de afrontar a legislação, que determina a realização de concurso público para preenchimento das vagas, acabava por trazer prejuízos a longo prazo aos cofres do município, já que, depois de passar alguns anos como gestores, professores podiam incorporar o salário do cargo mais alto, mesmo retornando à sala de aula.   

A Justiça determinou a realização de concurso para preenchimento do cargo, situação que só se concretizou em 2018, no governo de Afonso Macchione Neto. Porém, de lá para cá, a rede municipal de educação passou a conviver com diversos casos de acúmulo de escolas por um mesmo diretor, vice-diretor ou coordenador pedagógico. Situação que, ao que tudo indica, deve ser resolvida ainda neste ano. 

Autor

Rodrigo Ferrari
É jornalista de O Regional.

Por Guilherme Gandini | 17 de agosto de 2022
Prazo para eleitores solicitarem voto em trânsito termina amanhã
Por Rodrigo Ferrari | 17 de agosto de 2022
Prefeitura de Catanduva gastará até R$ 686 mil em tinta para impressoras
Por Guilherme Gandini | 17 de agosto de 2022
Prefeitura faz mudanças para transformar prédio cultural em Centro de Convenções