Dia do Futebol é comemorado hoje no país que se tornou sinônimo do esporte
Criado na Inglaterra, o esporte virou grande símbolo do Brasil, sendo também o grande sonho de muitas crianças e jovens
Foto: FIFA - Junior, Cafu, Juninho Paulista e Belletti durante a comemoração
Por Stella Vicente | 19 de julho, 2022
O dia 19 de julho foi escolhido, ainda em 1976, como o Dia Nacional do Futebol para homenagear o time mais antigo em atividade no país. Hoje o futebol já faz parte do cotidiano do brasileiro desde a infância, quando várias crianças nutrem expectativas de se tornarem jogadores profissionais no futuro. Este é o caso de Guilherme Radeche, atleta do Catanduva Futebol Clube.  
 
Ainda que tenha sido criado na Inglaterra em meados do século XIX e tenha vindo para o Brasil apenas em 1894, o “país do futebol” não é a terra da Rainha. Quando Charles Miller, considerado o pai do futebol brasileiro, chegou da Europa com algumas bolas e o livro de regras do jogo, o esporte somente era praticado por pessoas da elite.  
 
Foi somente na década de 1920 que o futebol chegou na parcela mais marginalizada da população, e passou a aceitar negros e imigrantes. Desde então, o fanatismo pelo esporte, somado à massificação do mesmo nas mídias, no cotidiano dos torcedores e daqueles que praticavam a modalidade, influenciaram para que o futebol se tornasse a paixão nacional.  
 
Por esse motivo, várias crianças carregam desde pequenas o sonho de, um dia, serem um jogador profissional de futebol. Guilherme Marins Damacena, ou apenas Guilherme Radeche, faz parte desse grupo.   
 
Nascido em Uberlândia, no estado de Minas Gerais, ele tem 22 anos e atualmente joga pelo Catanduva Futebol Clube. Foi formado pelo Taboão da Serra e já passou por clubes como Figueirense, Vocem, Barretos e Osvaldo Cruz. Hoje, ele é destaque no seu time atual, o que de certa forma é a concretização de um objetivo de longa data.  
 
“Futebol sempre foi o esporte que eu mais admirei, desde os meus oito anos de idade. Me aprofundei e me apaixonei cada dia mais e isso virou meu hobby, meu sonho, minha profissão e hoje é meu ganha-pão”, declara Radeche, que diz que o futebol significa tudo, tanto para ele quanto para sua família.  
 
Ele, que durante a infância jogava bola na rua o tempo todo, tem grandes metas a serem alcançadas em sua vida profissional. “Almejo chegar em times grandes, seleção brasileira. Estou no caminho certo e estou muito focado para deixar a minha marca aqui no Catanduva”, diz o jogador, e não há lugar melhor que o verdadeiro país do futebol para realizar tal sonho. 
 
Foto: COMUNICAÇÃO/CFC - Conhecido como Radeche, Guilherme tem 22 anos e é jogador do Catanduva Futebol Clube
 

 

Autor

Stella Vicente
É repórter de O Regional.

Por Da Reportagem Local | 17 de maio de 2024
Novorizontino faz último treino no Jorjão e recebe o Coritiba pelo Brasileirão
Por Guilherme Gandini | 16 de maio de 2024
Catanduva estreia com vitória no Brasileiro Interclubes de Basquete
Por Da Reportagem Local | 16 de maio de 2024
Atletas brilham no Judô nos Joguinhos da Juventude em Rio Preto