Capital nacional do limão, Itajobi é vice-líder em exportações na região
De janeiro a junho deste ano, município vendeu US$ 24,1 milhões ao exterior, ficando atrás apenas de Catanduva
Foto: JARDIM ANIMAL - Itajobi é a principal produtora de limão no país e uma das maiores do mundo
Por Guilherme Gandini | 05 de agosto, 2022
 

Os resultados da balança comercial brasileira no primeiro semestre de 2022 mostram que, na região de Catanduva, excluindo-se ela própria, a cidade com melhor desempenho no mercado internacional é Itajobi, a principal produtora de limão no país e uma das maiores do mundo.   

De janeiro a junho deste ano, o município vendeu US$ 24,1 milhões ao exterior, sendo 41% referentes em citrinos frescos ou secos, 31% em sumos de frutas e 19% em óleos essenciais. No ano passado, Itajobi exportou U$ 50,6 milhões ao longo de 12 meses.  

Os principais parceiros comerciais da cidade são os Países Baixos (Holanda), com 37% de participação, Estados Unidos (27%), Reino Unido (8,6%), México (5,7%) e Espanha (5,5%).  

A segunda colocada no ranking regional é Ariranha, que vendeu US$ 21,9 milhões, sendo a totalidade em açúcar. Novo Horizonte fez US$ 13,8 milhões, Paraíso US$ 11,8 milhões, Pindorama US$ 11,5 milhões, Marapoama US$ 8,8 milhões e Santa Adélia US$ 2,3 milhões.  

A última da lista é Urupês, que comercializou pouco mais de US$ 1 milhão e as demais – Catiguá, Elisiário, Embaúba, Novais, Palmares Paulista e Tabapuã – não venderam produtos ao exterior. 

 

Catanduva vendeu quase sete vezes mais que Rio Preto  

A Cidade Feitiço continua sendo referência regional no quesito exportação. De janeiro a junho deste ano, o município enviou ao exterior quase sete vezes o que São José do Rio Preto comercializou no mesmo período. O placar é de US$ 102,1 milhões contra US$ 14,9 milhões. 

Os principais produtos catanduvenses vendidos para outras nações foram o açúcar, com 35% de participação, extratos, essências e concentrados de café (31%) e óleo de amendoim (29%). Já em Rio Preto, carroçarias para veículos (20%), preparações capilares (15%) e máquinas (12%).   

Outra diferenciação entre os municípios se refere à importação. Enquanto Catanduva comprou só US$ 4,2 milhões do exterior no primeiro semestre, Rio Preto importou US$ 83,9 milhões. Os principais produtos foram peixes frescos (47%) e diodos, transistores e semicondutores (25%). 

 

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Da Reportagem Local | 17 de agosto de 2022
Circuito Sesc de Artes leva atrações gratuitas a praças de cidades da região
Por Da Reportagem Local | 17 de agosto de 2022
Campanha Agosto Lilás começa em Santa Adélia com ‘Beleza Itinerante’
Por Stella Vicente | 17 de agosto de 2022
Ariranha terá encontro automotivo beneficente no dia 28 de agosto