Bispo Dom José Benedito Cardoso toma posse: ‘buscar restaurar a fé’
Evento aconteceu no sábado, 17, e contou com a participação de todo o clero, além de amigos vindos de Itapetininga e São Paulo
Fotos: Vitor Zocarato - Cerimônia de posse foi realizada na Sé Catedral Santuário Nossa Senhora Aparecida
Por Da Reportagem Local | 20 de fevereiro, 2024

A posse de Dom José Benedito Cardoso, novo bispo diocesano de Catanduva, aconteceu na tarde do último sábado, dia 17, em cerimônia realizada na Sé Catedral Santuário Nossa Senhora Aparecida. O evento contou com a participação de todo o clero da Diocese de Catanduva, além de amigos vindos de Itapetininga e São Paulo, cidades nas quais o bispo já trabalhou.

Dom José Benedito tem 62 anos e é natural de Angatuba. Sua nomeação foi definida pelo papa Francisco no mês passado. Em 29 de janeiro, iniciou sua mudança para a Cidade Feitiço e, depois de cumprir seus últimos compromissos em Itapetininga e Angatuba, veio para ficar em definitivo a partir de 3 de fevereiro.

Nos dias que antecederam sua posse, ele percebeu a expectativa dos católicos e também de todo o clero. Em entrevista à rádio Vox FM, Dom José Benedito afirmou que tem sido bem acolhido pelos catanduvenses, o que tem facilitado sua adaptação à cidade. O trabalho na Diocese de Catanduva, segundo ele, é para a construção de uma realidade mais pacífica, humana e respeitosa.

“Estou bastante animado e, claro, conhecendo um pouco a realidade. Vim para trabalhar com, claro, os católicos, mas também aberto a todas as pessoas no sentido de termos assim um bom entendimento, um trabalho ecumênico. Essa é, inclusive, a proposta da campanha da fraternidade, que fala da amizade social, de ir além das nossas limitações, do nosso reduto e do nosso grupo para que a gente possa descobrir valores e coisas boas que outras pessoas que tem um outro jeito de pensar e que manifestam sua fé de modo diferente e pode contribuir para que possamos construir uma realidade mais pacífica, humana e respeitosa. Minha expectativa é justamente essa, de trabalhar com todos, mas principalmente, é claro, com a comunidade católica, para onde vim aqui como pastor”, disse.

Dom José Benedito destacou ainda como é iniciar sua trajetória diocesana no início da caminhada quaresmal. “Assim como para todos os católicos, para mim também é um tempo de preparação, de procurar ajustar a vida de um modo melhor para podermos bem celebrar o grande mistério da Paixão, morte e ressurreição do Senhor. Eu comecei a minha atividade como bispo em São Paulo, comecei justamente no tempo da Quaresma, já quase na Semana Santa. [Em Catanduva], iniciando ainda agora no começo da Quaresma. Mas é um tempo muito valioso, bonito, em que nós podemos juntos fazer as mudanças necessárias na vida pessoal, comunitária e social, para que possamos juntos construir e fazer acontecer aquilo que Jesus pede para nós. Nós queremos, de fato, colocar a nossa vida, todos os nossos dons, para que, de fato, possamos vivenciar essa experiência daquele que dá a vida e que ressuscita para que nós todos possamos ser salvos.”

NOVO LEMA

O lema escolhido por Dom José Benedito foi o Salmo 22: “O senhor é meu pastor e nada me faltará”, que para ele diz respeito a sua origem rural, já que nasceu em um sítio, passando a vida no campo.

“Retomei esse texto do Salmo 22 lembrando um pouco essa realidade do campo, porque não podemos esquecer e ignorar nossas origens e também pela confiança de que Deus não nos abandona”, relata o bispo, cuja agenda para os próximos dias conta com visitas às paróquias.

QUARTO BISPO

A Diocese de Catanduva comemorou 24 anos. Ao longo dessas mais de duas décadas, assistiu à nomeação de quatro bispos. Apenas Dom Antônio Celso de Queiroz, bispo emérito, desempenhou sua função até o final. A administração de Dom José Benedito começa após duas renúncias consecutivas. Ele afirma que buscará restaurar a fé da comunidade católica estando à disposição para servir a cidade de Catanduva e demais cidades que compõem a Diocese.

“Cada pessoa, cada realidade, seja ela de um grande ou pequeno grupo, com certeza terá minha atenção, meu pastoreio, que quer atingir todas as pessoas. E darei essa abertura às pessoas que tenham boa vontade e queiram estar juntas, possamos ajudar e governar bem essa Diocese. É um momento que me coloco à disposição de todos. Sei que na Diocese de Catanduva muita coisa boa já foi plantada e lançada, não venho para trazer algo de novo ou diferente e mudar tudo, venho para poder dar continuidade naquilo que foi construído de bom e naquilo que for necessário mudar e transformar ter com certeza a colaboração dos padres e leigos. Gostaria de realmente contar com todos para podermos construir uma fraternidade e levar adiante o propósito de ser uma igreja sinodal, que o papa Francisco nos traz, redescobrindo essa dimensão tão bonita e importante da Igreja Católica, de dialogar, conversar e ouvir para que possamos nos colocar à missão de um trabalho em comunhão e de missão”, garante o bispo.

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional

Por Stella Vicente | 13 de abril de 2024
Esquadrilha da Fumaça volta à Catanduva em maio
Por Guilherme Gandini | 13 de abril de 2024
Orquestra Facmol é atração na Praça da Matriz neste domingo
Por Da Reportagem Local | 13 de abril de 2024
Hospitais da FPA participam da Oficina de Articuladores de Humanização