Associação Monserrat atende quase mil mulheres vítimas de violência
Organização mantém parceria com Ministério Público e oferece acolhimento e orientação jurídica, psicológica e social
Foto: Divulgação - Atendimentos na Monserrat são feitos de forma individual ou em grupo
Por Guilherme Gandini | 08 de fevereiro, 2024

Levantamento divulgado pela Associação Monserrat, de Catanduva, mostra que foram realizados 954 atendimentos de mulheres vítimas de violência doméstica, no ano passado. Os serviços são nas áreas jurídica, psicológica e social, além de encaminhamentos. A organização atende Catanduva e região, com foco nas cidades de Tabapuã, Santa Adélia, Catiguá e Novais.

O projeto tem apoio do Ministério Público (MP) dessas comarcas e parcerias com municípios. Através do Centro de Atendimento da Mulher (CAM), são atendidas demandas espontâneas e casos encaminhados pelo MP, Delegacia da Mulher, Creas, Cras e equipamentos de saúde. Também são feitos atendimentos itinerantes nas cidades referenciadas.

“A Associação Monserrat é uma Organização da Sociedade Civil, sem fins lucrativos, que tem por finalidade defender, resgatar e promover a vida, atuando em prol de pessoas em situação de vulnerabilidade e exclusão social, política, econômica, cultural e religiosa, sensibilizando a população a praticar a solidariedade”, diz a psicóloga e gestora da entidade, Natália Carnelossi.

A Monserrat foi fundada em 2013, mas passou a atender há pouco mais de 4 anos, oferecendo acolhimento a meninas, mulheres e idosas, buscando garantir os direitos, conscientização, tratamento, qualidade de vida e autonomia das mesmas, construindo e consolidando rede de enfrentamento das questões relacionadas ao abuso sexual e à violência contra as mulheres.

Os atendimentos psicológicos e psicossociais são desenvolvidos de forma individual - inclusive de forma emergencial para avaliação de riscos – e também em grupo, visando ao fortalecimento de vínculos. Também há abordagens com as famílias, grupos orientativos e reflexivos com vistas à recuperação e/ou elevação da autoestima e ao reconhecimento e exercício de direitos.

A Associação Monserrat ainda mantém parceria com o Programa Flor de Lis, idealizado pela juíza Patrícia da Conceição Santos, de Tabapuã, e com o grupo MAN (Masculinidade Ampliando a Natureza) para os atendimentos aos agressores. O endereço é rua Recife, 299, Sala 5, no Centro.

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Stella Vicente | 28 de fevereiro de 2024
Grupo de escoteiros de Catanduva promove curso para voluntários
Por Stella Vicente | 28 de fevereiro de 2024
IFSP encerra hoje as inscrições para cadastro reserva de vagas remanescentes
Por Guilherme Gandini | 27 de fevereiro de 2024
Diretoria da Abracrim tem advogado de Catanduva pela primeira vez