Ação judicial contra a ACE pode invalidar assembleias e mudanças estatutárias
Iniciativa é de Alan Automóveis, empresário e vereador, que contesta as alterações feitas
Foto: Divulgação - Alan disse ter sido procurado por empresários que contestam as mudanças
Por Guilherme Gandini | 28 de fevereiro, 2024

O vereador e empresário Alan Automóveis (PP) confirmou à rádio Vox FM, em entrevista ao vivo no jornalístico V1 Notícias, na manhã desta terça-feira, 27, que está movendo ação judicial contra a ACE – Associação Comercial e Empresarial de Catanduva. Ele disse ter sido procurado por comerciantes e industriários que contestam mudanças feitas em assembleias no ano passado.

Segundo Alan, foram três assembleias. “Uma em fevereiro, onde em cima da hora o pessoal ficou sabendo e acabaram indo e não houve mudanças no estatuto, simplesmente aprovação de atas. Aí sim, em julho, fizeram alteração estatutária sem avisar comerciante e associado da ACE, foi publicado apenas em um jornal de Ariranha que só sai aos domingos”, contou ele.

A terceira assembleia teria sido feita em dezembro, seguindo os mesmos moldes. “O que nos deixa alertas é que, em julho, tiveram sete presenças da diretoria para uma alteração estatutária e, em dezembro, seis diretores estiveram presentes. Então fomos buscar informações e ficamos sabendo que nenhum associado foi consultado ou informado da forma que rege o estatuto.”

Ele garantiu que esse tipo de comunicação deveria ter sido feita por e-mail, WhatsApp, carta registrada. “O que nos deixa com uma de que eles fizeram da forma como eles bem acharam.”

A principal alteração estatutária, segundo Alan, foi a proibição de que presidentes e líderes de qualquer organização da sociedade civil e clubes de serviços, como Rotary, Lions, Maçonaria e outras associações, além de suas esposas e filhos, possam participar da diretoria da ACE.

“A ACE tem 93 anos, dali saíram vários prefeitos, diretores antes ou depois ou agora fazem parte de instituições, Maçonaria ou Rotary, isso faz parte não só da ACE, mas de qualquer outra diretoria, qualquer outra instituição. Não sei o porquê. Isso fica no ar, uma coisa que não dá para entender o porquê da alteração e porque não avisar os associados”, pontuou.

Durante a entrevista, Alan ainda lembrou que, no ano passado, dois diretores se desligaram e sete funcionários foram demitidos. “Algo está acontecendo que eles estão querendo que fiquem realmente entre eles na diretoria. Supostamente quando você esconde uma alteração estatutária dos próprios associados, isso não soa bem”.

A ação judicial movida pela empresa de Alan, que é associada à ACE, pede que as assembleias sejam anuladas e que o estatuto anterior volte à vigência para regrar as próximas eleições da diretoria, previstas para março. Ele sinalizou, inclusive, que haverá duas chapas concorrendo – mas que ele não será integrante de nenhuma delas. “Tudo como manda o estatuto”, frisa.

SEM RESPOSTA

O presidente da ACE, Marcos Escobar, foi contatado pela reportagem do jornal O Regional e da Vox FM. Num primeiro momento, não quis gravar entrevista e tentou redirecionar o pedido. Depois, afirmou que gravaria, mas não o fez até o fechamento desta edição.

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Da Reportagem Local | 13 de abril de 2024
Catanduva escala 77 posições e é 50ª no Ranking das Cidades Sustentáveis
Por Guilherme Gandini | 12 de abril de 2024
Prefeitura e Polícia Militar firmam convênio para Atividade Delegada
Por Stella Vicente | 12 de abril de 2024
Educação define a grade de atividades do projeto ABC do Saber