"A eliminação dos criadouros é a principal ação de combate ao Aedes", diz secretária
Secretária de Saúde de Santa Adélia, Tânia Canossa, alerta sobre cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito
Foto: DIVULGAÇÃO - Sercesa pede cuidado redobrado com recipientes que possam acumular água
Por Da Reportagem Local | 12 de maio, 2022
 
 

Nesta semana, a Secretaria de Saúde de Santa Adélia divulgou os números da dengue no município. Do início do ano até o último dia de abril, foram 139 notificações e, desse total, foram confirmados 40 casos da doença.  

“A eliminação dos criadouros é a principal ação de combate ao Aedes aegypt. Pedimos que toda a população redobre os cuidados com suas casas, quintais e terrenos. Várias cidades da região já decretaram epidemia da doença, então devemos ficar atentos”, alerta a secretária de Saúde, Tânia Canossa.  

A coordenadora do Serviço de Controle de Endemias de Santa Adélia – Sercesa, Fernanda Bolognini Franco, informou que os agentes de vetores ainda estão encontrando muitas larvas nas casas. “Caso pessoa for diagnosticada com dengue ou mesmo suspeito, deve começar a usar repelente imediatamente.” 

A Prefeitura está realizando vistoria de rotina nos imóveis, bloqueio-controle de criadouros em situações de casos suspeitos, bloqueio de nebulização em casos confirmados, vistoria e pesquisa larvária em imóveis especiais e pontos estratégicos.  

“É importante que a população elimine todos os criadouros das residências, pois a nebulização é feita mediante o caso confirmado e o inseticida vai matar somente os pernilongos que estão voando, mas as larvas e os ovos continuam vivos”, informou Fernanda.  

A coordenadora também pede a colaboração da população para a aplicação do inseticida. “Quando o caso é confirmado, o Sercesa realiza os bloqueios e uma das ações é a aplicação de inseticida nas casas em torno do caso confirmado. Essa medida é fundamental para que a doença não avance e mais positivos apareçam. Por isso, pedimos que deixem os agentes visitar suas casas e permitam a aplicação do inseticida que é inofensivo ao ser humano e animais.” 

O Sercesa alerta que febre, dor no corpo, dor em torno dos olhos e prostração são alguns dos sintomas da dengue. Caso apareçam, é necessário procurar o serviço de saúde, uma vez que há a circulação do vírus da dengue no município.  

Caso o paciente já tenha passado por uma avaliação e seja classificado com suspeita de dengue, é importante aumentar a hidratação, com a ingestão de muitos líquidos; manter repouso e ficar alerta para sinais de agravamento, como dor abdominal.  

De acordo com o Sercesa, um adulto saudável deve tomar pelo menos dois litros de água por dia, já um paciente com suspeita de dengue, deve ingerir pelo menos seis litros de água ou isotônico por dia. Em caso de dor abdominal ou sangramento, deve-se retornar ao serviço para outra avaliação. É necessário ainda realizar todos os exames nos prazos indicados.  

O órgão finaliza dando dicas de medidas adicionais. “Uso de repelentes e roupas com manga comprida para evitar picadas do mosquito. A prevenção se completa com a eliminação de criadouros do mosquito: recipientes que possam acumular água devem ser eliminados, cobertos ou mantidos com a boca para baixo. Isso inclui ralos externos, calhas, caixas d’água, reservatório de água pluvial (chuva), prato de vasos de plantas e mesmo o reservatório de degelo da geladeira.” 

 

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional.

Por Myllayne Lima | 19 de maio de 2022
Prefeitura de Urupês coleta agasalhos porta a porta
Por Da Reportagem Local | 19 de maio de 2022
Marapoama realiza trabalho de conscientização contra a dengue
Por Myllayne Lima | 19 de maio de 2022
Rodeio marca festa de 30 anos de emancipação da cidade de Novais