Desenhista conduz projetos na Estação Cultura e celebra o Dia do Orgulho Nerd
Data evidencia paixões por histórias em quadrinhos, animes, games, filmes, séries e personagens que marcaram a infância
Foto: ARQUIVO PESSOAL - Marcel Fachetti é colecionador de histórias em quadrinhos e entusiasta do Dia do Orgulho Nerd
Por Guilherme Gandini | 25 de maio, 2022
O mundo dos quadrinhos é uma paixão do desenhista e roteirista Marcel Fachetti, professor arte-educador na Estação Cultura de Catanduva. Colecionador fanático, é um dos entusiastas do Dia do Orgulho Nerd, celebrado nesta quarta-feira, 25. “Eu tenho uma paixão imensa por quadrinhos. Gosto de ler e colecionar os quadrinhos dos meus heróis prediletos”, confidencia.  
 
O Dia do Orgulho Nerd é também conhecido como o Dia da Toalha, homenagem dos fãs a Douglas Adams, autor da série 'O Guia do Mochileiro das Galáxias', obra cômica que fala sobre uma viagem interplanetária. Formado em literatura inglesa na Universidade de Cambridge, ele trabalhou em um programa de rádio com Simon Brett sobre ficção científica.  
 
A data evidencia paixões por histórias em quadrinhos, animes, games, filmes, séries e personagens que marcaram a infância de milhares de pessoas entre as décadas de 1970 e 1980, como Star Wars, Star Trek e He-Man.  
 
“As maiores empresas de histórias em quadrinhos Universo Marvel e DC trazem aos fãs os heróis mais famosos que já conhecemos Batman, Superman, Mulher Maravilha, Homem Aranha, O incrível Hulk, Os Vingadores e o Quarteto Fantástico”, menciona Fachetti.  
 
O Orgulho Nerd, segundo ele, mostra o conhecimento e compõe iniciativa que defende o direito de toda pessoa a ser um nerd ou um geek, além de promover a cultura nerd/geek. “Os nerds sempre vão existir, assumindo um ponto de destaque dentro do cenário pop e no mercado cultural.”  
 
ROTEIRO E CONCEPT
 
Fachetti conduz dois projetos na Estação Cultura: Roteiro para Histórias em Quadrinhos e Concept - Criação de Personagens. São duas turmas que passam pelas duas atividades.  
 
“A aula de roteiro ensina a construir uma história fictícia, com começo, meio e fim, em gêneros como ação, suspense, terror e outros. Os alunos aprendem a desenvolver a imaginação e criar personagens dentro do contexto como arquétipos, que são as características do personagem como ele ou ela vai ser na história, herói, vilão, mocinha e o rebelde, entre outros”, detalha.   
 
As atividades envolvem ainda outro ponto importante: o uso das onomatopeias, que são efeitos, barulhos – é preciso saber como e quando colocá-los na história em quadrinhos.
 
Já o Concept - Criação de Personagens envolve a parte no desenho, técnicas de esboço e movimento usando a anatomia, perspectiva e largura, desenhando e aprendendo a fazer um personagem de histórias em quadrinhos, animes, personagens de videogame.  
 
Fachetti também ensina a técnica para uso de diferentes materiais, como as canetas de sombreamento e hachurias. “Os alunos aprendam a desenvolver qualquer personagem em estilos diferentes, como animação e personagens de quadrinhos”, afirma. 

 

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Guilherme Gandini | 19 de maio de 2024
Hoje tem espetáculo circense e duas oficinas gratuitas no Sesc Catanduva
Por Guilherme Gandini | 19 de maio de 2024
Catanduva recebe show duplo ‘Abba + Bee Gees Encontro’ em junho
Por Guilherme Gandini | 17 de maio de 2024
1ª Impressão garante vaga no Palco Aberto do Festival de Joinville