Catanduva fica entre as 100 melhores do país em qualidade de vida
Foram analisadas as necessidades humanas básicas, bem-estar e oportunidades
Foto: Rafael Belo - De modo geral, Catanduva foi classificada com cores amarelas, ou seja, relativamente neutro
Por Da Reportagem Local | 03 de julho, 2024

Catanduva é uma das 100 cidades brasileiras que oferece melhor qualidade de vida aos seus moradores, segundo o Índice de Progresso Social, IPS, metodologia internacional que calcula o bem-estar da população. No ranking, que abrange os 5.570 municípios do país, Catanduva aparece em 99º lugar. O estudo mostra, ainda, a predominância do interior de São Paulo.

Esse levantamento, chamado IPS Brasil, filtrou mais de 300 indicadores até chegar a 52, entre órgãos oficiais e de institutos de pesquisa, como o DataSUS, Conselho Nacional de Justiça, Mapbiomas, Anatel e CadÚnico. São 53 indicadores distribuídos em três grandes dimensões: necessidades humanas básicas; fundamentos do bem-estar; e oportunidades.

Esses indicadores receberam notas de 0 a 100 e, no final, foi traçada a média de cada item. Visualmente, quanto mais azul, melhor, e quanto mais próximo do vermelho escuro, pior.

O levantamento também engloba informações sobre a cobertura vacinal, casas com paredes e pisos, abandono escolar, obesidade, acesso a programas de direitos humanos como proteção às vítimas de violências, quantidade de praças e parques públicos e o número de mulheres empregadas com ensino superior.

De acordo com o estudo, Catanduva obteve um IPS Brasil 67,74 dos 100 possíveis, considerado relativamente forte. Das três grandes dimensões estudadas, o município se destacou em ‘Fundamentos do Bem-Estar’, com média 73,18, e ‘Oportunidades’, com 47,9. Já ‘Necessidades Básicas Humanas’ recebeu cor amarela, que é relativamente neutra, com índice 82,15.

Destrinchando as informações, é possível ver que na área de ‘Necessidades Básicas Humanas’, Catanduva alcançou média 72,88 em nutrição e cuidados médicos básicos. Ainda nesse grupo, o índice foi de 95,45 para água e saneamento, 93,09 para moradia e 67,18 para segurança.

No quesito ‘Fundamentos do Bem-Estar’, o acesso ao conhecimento básico rendeu média 83,27, acesso à informação e comunicação 77,02, saúde e bem-estar 60,1, e qualidade do meio ambiente 72,32. Em ‘Oportunidades’, as médias foram: direitos individuais 35,77, liberdades individuais e de escolhas 65,43, inclusão social 36,21, e acesso à educação superior 54,21.

DIVISÃO POR CORES

De modo geral, Catanduva foi classificada com cores amarelas, ou seja, relativamente neutro. Os pontos fortes, com cores azuis, foram esgotamento sanitário adequado, distorção idade-série no ensino médio, áreas verdes urbanas, existência de ações para direitos de minorias, índice de atendimento à demanda de justiça, acesso à cultura, lazer e esporte, empregados com ensino superior, mulheres empregadas com ensino superior, nota média no Enem.

Já os pontos fracos indicados pelo estudo foram subnutrição, obesidade, taxa de congestionamento líquido de processos, gravidez na adolescência.

A cidade com melhor resultado foi Gavião Peixoto, perto de Araraquara e São Carlos, com população de apenas 4.700 pessoas, mas que tem um polo aeroespacial importante da Embraer. Já a pior nota foi Uiramatã, no extremo norte de Roraima.

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional

Por Guilherme Gandini | 18 de julho de 2024
Justiça fixa prazo para Câmara repassar contribuições ao IPMC
Por Da Reportagem Local | 18 de julho de 2024
Escolas da região recebem R$ 67 milhões em investimentos em 18 meses
Por Da Reportagem Local | 17 de julho de 2024
Catanduva e mais três cidades da região aderem ao Integra Resíduos