Alfabetização na idade certa fica distante da meta no pós-pandemia
Relatório mostrou que 54,4% das crianças do 2º ano do ensino fundamental de Catanduva sabem ler e escrever
Foto: Prefeitura de Catanduva - Catanduva programa melhorias estruturais e didáticas para elevar alfabetização
Por Guilherme Gandini | 09 de junho, 2024

Em 2023, 56% das crianças brasileiras das redes públicas alcançaram o patamar de alfabetização definido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para o 2º ano do ensino fundamental. Os dados foram apresentados no 1º Relatório de Resultados do Indicador Criança Alfabetizada, divulgado pelo Ministério da Educação, o MEC.

Na análise por município, o índice de alfabetização verificado em Catanduva ficou bem próximo, mas ainda abaixo, da média nacional. O relatório mostra que 54,4% dos alunos catanduvenses, na faixa etária indicada, são alfabetizados. Além de ficar abaixo da média do país, o resultado ficou aquém da meta estabelecida para a cidade para o ano de 2024, que é de 58,62%.

Ao avaliar o desempenho dos alunos, a secretária municipal de Educação, Cláudia Cosmo, frisa que a cidade ficou muito próxima da média nacional e que todos os esforços têm sido feitos para recuperar a aprendizagem, afetada pela pandemia do coronavírus.

“Entre as ações para que isso aconteça estão as capacitações aos docentes, a adesão aos programas nacionais e estaduais referentes à capacitação docente, investimento em material didático, em projeto de leitura e em tecnologia, para que de fato as crianças possam ser alfabetizadas na idade certa e construir os alicerces da cidadania”, detalha a gestora.

Ela diz ainda que cidades menores da região apresentam índices mais elevados do que Catanduva, mas que, ao mesmo tempo, municípios maiores, como São José do Rio Preto e Ribeirão Preto têm índices de alfabetização abaixo do conseguido pelos alunos catanduvenses.

Na visão do MEC, o resultado nacional representa a recuperação do desempenho de alfabetização anterior à pandemia. O novo indicador é 20 pontos percentuais (p.p.) maior do que o apresentado pelo Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2021, além de estar 1 p.p. acima da avaliação de 2019 (55%).

“Voltamos ao status de antes da pandemia, em 2019. Todos os estados, sem exceção melhoraram de 2021 para 2023. É importante a gente comemorar, mas estamos muito longe do ideal. Não queremos só metade, queremos 100% das crianças alfabetizadas na idade certa”, afirmou o ministro da Educação, Camilo Santana, ao anunciar os números.

METAS

Para os próximos anos, o MEC estabeleceu metas progressivas de alfabetização dos estudantes da rede pública, seguindo o padrão nacional de desempenho da criança alfabetizada. Para Catanduva, o objetivo é alcançar 58,62% de crianças alfabetizadas em 2024, subindo ano a ano: 62,74% (2025), 66,69% (2026), 70,42% (2027), 73,89% (2028), 77,09% (2029) e 80% (2030).

Seis cidades da região alcançaram índice de 2030

Os dados coletados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) mostram que a região de Catanduva teve média de 70,1% de crianças alfabetizadas. Apesar disso, as cidades de Urupês, Embaúba, Itajobi, Marapoama, Palmares Paulista e Tabapuã já atingiram 80% de alfabetização, ou seja, a meta de 2030. Já Ariranha, Elisiário, Novais, Sales e Santa Adélia superaram a média nacional, mas estão abaixo da meta estabelecida para este ano.

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Guilherme Gandini | 23 de junho de 2024
MP pede interdição de escolas sem alvará; 13 ainda estão sob risco
Por Da Reportagem Local | 23 de junho de 2024
Governo de SP antecipa R$ 1 milhão para reforçar saúde em Catanduva
Por Guilherme Gandini | 21 de junho de 2024
Prefeitura doa área para construção de subestação de energia elétrica