Pneumologista alerta para aumento de doenças respiratórias agudas no inverno
Marcelo Macchione fala sobre os cuidados para evitar o contágio de diferentes tipos de vírus e que, diante de sintomas, é preciso descartar Covid
Foto: ARQUIVO PESSOAL - Marcelo Macchione destaca que a vacina contra gripe é importante aliada para quem tem doenças respiratórias crônicas
Por Myllayne Lima | 30 de maio, 2022
 

Com as baixas temperaturas, aumentam os riscos de infecções virais. Por isso, os cuidados para evitar o contágio de diferentes tipos de vírus devem ser redobrados. O médico pneumologista Marcelo Macchione orienta quais medidas tomar para reforçar a prevenção. 

“Com a chegada do inverno, a incidência das doenças respiratórias agudas aumenta significativamente. Dentre elas, as mais comuns são resfriado, gripe, Covid-19, rinite alérgica, asma, sinusite além das exacerbações da DPOC, as pneumonias”, alerta. 

O especialista explica o motivo das doenças respiratórias serem frequentes nessa estação. “Há maior circulação de vírus respiratórios como os da gripe e do resfriado; o tempo frio, seco e a baixa umidade relativa do ar contribuem para o aumento das alergias respiratórias devido à alta concentração de poluentes na atmosfera; e há maior irritação das vias aéreas pelo ar frio, reduzindo o transporte de muco e prejudicando ainda mais os mecanismos de defesa.” 

Em caso de sintomas como coriza, espirro e tosse, o médico faz recomendações: “No momento que estamos vivendo, a primeira recomendação é colocar uma máscara e fazer teste para descartar Covid. Nos últimos dias, o número de pessoas com teste positivo aumentou aproximadamente 30%. Além disso, mesmo com um teste negativo recomenda-se a adoção de medidas de etiqueta respiratória como cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, usar álcool nas mãos, etc. Em relação ao tratamento, jamais se automedique, principalmente com antibióticos, pois, além de ineficazes, podem causar efeitos colaterais graves. Se necessário, tome apenas analgésicos e só procure o pronto-socorro se tiver febre alta, náuseas, vômitos, queda do estado geral, inapetência ou se os sintomas persistirem por mais de 2 ou 3 dias.” 

Macchione ainda fala sobre como evitar as doenças respiratórias. “A maneira mais eficaz para se proteger é tomando as vacinas indicadas para a sua faixa etária. Destas, as que previnem essas doenças respiratórias são as vacinas da gripe, pneumocócica e, claro, a da Covid. Outras medidas simples podem ser bastante úteis, tais como evitar ambientes fechados e sem ventilação, lavar bem as mãos, proteger a boca ao tossir, beber bastante água e manter-se afastado de pessoas que estejam doentes.” 

O pneumologista frisa que a vacina contra gripe é importante aliada para quem tem doenças respiratórias crônicas. “Ela reduz a incidência de complicações em 40 a 60% dos casos. Como os portadores de doenças respiratórias crônicas são mais idosos, essa proteção é fundamental.” 

 

Autor

Myllayne Lima
Repórter de O Regional.

Por Guilherme Gandini | 19 de maio de 2024
Postão passa a atender casos de dengue e síndromes gripais aos sábados
Por Da Reportagem Local | 19 de maio de 2024
Tratamento melhora vida de pacientes com hiperplasia na próstata
Por Da Reportagem Local | 19 de maio de 2024
Curso para gestantes da Unimed Catanduva está com inscrições abertas