Marquinha no braço: vacinação da BCG chega a 85% em Catanduva
Índice está bem acima da média nacional, que é de 75,3%, mas ainda abaixo da meta
Foto: Arquivo/Prefeitura de Jundiaí - Vacina deve ser aplicada logo após o nascimento em bebês com mais de dois quilos
Por Da Reportagem Local | 04 de julho, 2024

Nos seis primeiros meses de 2024, 75,3% das crianças com menos de um ano de idade receberam a vacina BCG em todo o país. Usado para a prevenção das formas mais graves da tuberculose, o imunizante é um dos primeiros a serem aplicados nos recém-nascidos. Em Catanduva, a proteção está mais elevada. De acordo com painel de monitoramento do Ministério da Saúde, a cobertura ao nascer chega a 85,22%, conforme dados atualizados em maio.

Para o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, Juarez Cunha, a cobertura vacinal da BCG no Brasil está abaixo da meta. “A meta dessa vacina é de 90%. Nós não temos conseguido atingir a meta já há alguns anos. O que que nos preocupa nisso é, essa vacina protege especificamente contra as formas graves de tuberculose. E a tuberculose continua sendo um problema de saúde pública no nosso país”.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nos países onde a tuberculose é frequente e a vacina integra o programa de vacinação infantil, mais de 40 mil casos anuais de meningite tuberculosa são evitados.

“Desde o início de 2023, uma série de ações vem sendo realizadas para reforçar a cultura de vacinação no país, com destaque para a estratégia de microplanejamento, recomendada pela OMS, que consiste em diversas atividades com foco na realidade local”, explica o diretor do Departamento do Programa Nacional de Imunizações (DPNI), Eder Gatti.

A vacina deve ser aplicada o mais precocemente possível logo após o nascimento em bebês com mais de dois quilos. Caso não seja possível administrar ainda na maternidade, a vacinação deve ocorrer na primeira ida à Unidade Básica de Saúde (UBS). Depois da aplicação, a reação começa com uma mancha vermelha que evolui para uma pequena ferida e, por fim, vira uma cicatriz.

A tuberculose é transmitida pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, mais conhecida como bacilo de Koch. Além de atingir os pulmões, os ossos, rins e meninges também são afetados. Os principais sintomas são tosse – que pode conter sangue, falta de ar, dor no peito, fraqueza, perda de peso, febre e sudorese ao final do dia. 

Pirangi lidera ranking regional; Marapoama é última

Levantamento feito pelo jornal O Regional no banco de dados do Ministério da Saúde mostrou que a cobertura vacinal da BCG na Região de Saúde de Catanduva é de 79,03%. A relação considera 19 municípios, tendo Pirangi na liderança, com 92%, seguida por Embaúba (88,89%) e Urupês (87,93%). As últimas da fila são Elisiário (53,85%) e Marapoama (46,15%).

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional

Por Da Reportagem Local | 18 de julho de 2024
Novo aparelho de ultrassom otimiza atendimento na saúde pública
Por Da Reportagem Local | 18 de julho de 2024
Hospital de Base promove evento de anestesiologia na sexta e sábado
Por Da Reportagem Local | 17 de julho de 2024
Férias e celular: fisioterapeuta faz alerta sobre a saúde das crianças