Especialista no sono alerta para os malefícios da insônia para a saúde
Fábio Macchione dos Santos diz que é importante diagnosticar e tratar distúrbio, que pode causar fadiga durante o dia
Foto: Divulgação - Fábio Macchione diz que médico deve elaborar plano de tratamento personalizado
Por Da Reportagem Local | 06 de junho, 2024

A qualidade do sono é fundamental para a saúde e o bem-estar de qualquer indivíduo. Problemas como insônia, apneia e ronco afetam milhões de pessoas, impactando diretamente a qualidade de vida. Consultar um médico especialista em sono é essencial para identificar e tratar essas condições de maneira eficaz, proporcionando sonos de qualidade e reparadores, segundo o pneumologista e médico do sono, Fábio Macchione dos Santos.

Segundo ele, um médico especialista em sono tem a expertise necessária para diagnosticar e tratar ampla variedade de distúrbios. Entre os principais está a insônia que causa a dificuldade para adormecer ou manter o sono, resultando em noites mal dormidas e fadiga durante o dia.

Para um diagnóstico preciso, é fundamental a realização de um exame chamado polissonografia, que monitora diversos parâmetros durante o sono, como atividade cerebral, movimentos oculares, frequência cardíaca e respiratória, e níveis de oxigênio no sangue.

“Com base nos resultados da polissonografia, o médico pode identificar a causa dos distúrbios do sono e elaborar um plano de tratamento personalizado”, explica.

Macchione enfatiza que, após a polissonografia, é fundamental seguir um tratamento adequado que pode incluir técnicas de higiene do sono, terapia cognitivo-comportamental para insônia e mudanças no estilo de vida, o uso de dispositivos como CPAP para tratar a apneia do sono, em alguns casos, medicamentos podem ser necessários em algumas situações, além de intervenções cirúrgicas para casos graves de apneia ou problemas estruturais que causam ronco.

INSÔNIA EM MULHERES

De acordo com estudos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 72% dos brasileiros sofrem de doenças relacionadas ao sono, entre elas, a insônia. A condição pode estar relacionada a diversos fatores, como expectativas, problemas clínicos, problemas emocionais, excitação associada a determinados eventos, entre outros.

As mulheres são particularmente mais afetadas por problemas de sono, especialmente insônia. Diversos fatores contribuem para essa prevalência, incluindo mudanças hormonais durante o ciclo menstrual, gravidez e menopausa que podem afetar a qualidade do sono, transtornos de humor, ansiedade e depressão, que estão intimamente ligados à insônia, além da combinação de responsabilidades profissionais, domésticas e familiares que pode levar a níveis elevados de estresse e, consequentemente, problemas de sono.

“É fundamental consultar um médico especialista para melhorar a qualidade do sono e, consequentemente, a qualidade de vida. Diagnosticar e tratar distúrbios do sono de maneira adequada pode prevenir complicações de saúde a longo prazo e proporcionar bem-estar geral”, finaliza Macchione.

OUTROS PROBLEMAS

A chamada apneia do sono causa interrupções temporárias da respiração durante o sono, levando à sonolência diurna, problemas de concentração e aumento do risco de doenças cardiovasculares. Já o ronco é um problema comum, que pode ser sinal de apneia do sono e causar desconforto, tanto para quem ronca quanto para quem divide o quarto.

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional

Por Da Reportagem Local | 23 de junho de 2024
Médico alerta que pedra na vesícula atinge até 20% da população adulta
Por Da Reportagem Local | 19 de junho de 2024
Unimed Pela Vida reúne colaboradores no Hemonúcleo de Catanduva
Por Guilherme Gandini | 18 de junho de 2024
Catanduva confirma mais duas mortes por dengue e chega a seis no ano