Política e Economia

Visando Economia, Prefeita Deve Encaminhar Projetos Com Mudanças no Executivo

A prefeita Marta Maria do Espírito Santo Lopes estuda elaborar projetos com o objetivo de reduzir gastos da máquina pública. Em entrevista para a VOX e O Regional na tarde de ontem, a Chefe do Executivo afirmou que em breve deve buscar discutir com vereadores sobre o tema economia municipal. Marta afirmou que os cofres públicos atualmente conseguem apenas pagar as despesas e, que no caixa não resta dinheiro para investimentos.
A economia também está associada, segundo ela, a possibilidade de atender os servidores municipais em um possível reajuste salarial em 2020.
O teor dos projetos que serão apresentados não foi detalhado pela prefeita, mas uma das propostas que deverá ser encaminhada será o reparcelamento da dívida com o Instituto de Previdência dos Municipiários (IPMC), que já foi apresentado uma vez, no pacote de medidas para o dissídio, porém, com a rejeição de outra proposta, a que transferia a Secretaria de Meio Ambiente para Saec, foi retirado.
“Minha intenção, o que eu gostaria muito e vou usar todos os meus argumentos para tentar, é convencer os vereadores a ajudarem a economizar mais ainda na prefeitura. Vou enviar alguns projetos para Câmara, vou incluir valores do cartão alimentação que está inserido na dívida do dissídio de 2015 e chegar no dissidio de 2020 para dar alguma coisa para o funcionário”, disse a prefeita.
Ao ser questionada sobre os valores do duodécimo da Câmara (Sobra do que o Legislativo tem direito anualmente), a prefeita afirma que acredita que dê para pagar o cartão alimentação dos servidores. “O que acontece, qual é a opção? esse cartão alimentação vem dessa divida herdada de 2015, posso pagar o cartão alimentação, e preciso levantar valores. A câmara precisa me mandar esse valor (R$ 5,2 milhões) antes de 31 de dezembro, vou levantar o custo, e pensar que mais para frente eu tenho o dissidio de 2020”.

Karla Konda
Editora Chefe