Política e Economia

Vereadores Coletam Dados de Computadores da Prefeitura

Vereadores integrantes da Comissão Especial de Inquérito (CEI), que investiga a utilização de servidores e maquinários da Superintendência de Àgua e Esgoto de Catanduva (Saec) para realização de obras em um loteamento particular de propriedade do então prefeito Afonso Macchione Neto, estiveram ontem na Prefeitura e, coletaram todos os dados contidos em três computadores da administração.
Os parlamentares fizeram um backup em busca de possíveis provas sobre suposta fraude em Ata da aprovação do desmembramento de terra.
De acordo com o presidente da comissão, Benedito Alexandre Pereira, Ditinho Muleta, na quarta-feira foi realizada a sétima oitiva da CEI e foram chamados funcionários do setor de planejamento, no decorrer dos depoimentos, foi constatado que alguns funcionários não participaram da reunião de aprovação do projeto. “Antes disso, eu tinha ido ate a prefeitura buscar a documentação sobre esse loteamento, mas para minha surpresa, a Ata que consta no projeto não tem assinaturas. Essa CEI foi aberta em junho de 2018 e essa ata foi elaborada no mês de julho de 2018. Sem assinatura das comissões e com nome de pessoas que nem participaram dessa reunião. Então foi aí que suspeitamos que as documentações estavam sendo fraudadas. Os documentos não batiam. Foi deliberado no dia da oitiva, que dois vereadores acompanhassem a secretária Adriana Bonjovani até a secretaria de planejamento para buscar a ata original dessa aprovação. Nos arquivos não encontrou a ata. O que mais surpreendeu também foi que todas as atas até 2012 encontravam-se presentes no arquivo, menos esta. No mês de novembro de 2012 a única que não estava é desse projeto”, afirmou Ditinho.
“Convidamos os vereadores, fomos até a prefeitura, para que fizéssemos um backup nos computadores das pessoas envolvidas, a prefeita liberou para que fizéssemos o backup. Vamos verificar se houve irregularidade. Temos por obrigação trazer transparência e fazer um relatório. Há suspeitas de documentos falsos, um projeto aprovado em 20 dias que se fosse para outro loteador demoraria pelo menos 90 dias” afirmou o parlamentar.
“A análise de todos os dados colhidos será realizada por equipe técnica acompanhada dos vereadores”, afirmou o parlamentar.
A Comissão deve se reunir para deliberar sobre outras solicitações e agendar novas oitivas, em agosto, quando terminar o período de recesso parlamentar.
A CEI já ouviu outros funcionários da Saec, o então superintendente Alfredo Minervino Neto, Secretária Adriana Bonjovani, dentre outros.

Da Reportagem Local




/* ]]> */