Política e Economia

Vereador Questiona ‘Ritmo’ da Reforma da Rodoviária; Governo Diz Haver Impasse

PLACA informa preço, data de início e previsão de término (Foto O Regional)
PLACA informa preço, data de início e previsão de término (Foto O Regional)
Assine O Regional Online

O vereador Wilson Aparecido Anastácio (PT), o Wilson Paraná, elaborou requerimento cobrando explicações do Governo Municipal a respeito do andamento das obras de reforma do Terminal Rodoviário João Caparroz. O documento foi aprovado pelo Plenário da Câmara.

No requerimento, o parlamentar questiona se a obra está parada. “Qual a justificativa plausível para a reforma do Terminal Rodoviário João Caparroz estar parada?”, questiona Paraná que pede ainda cópia do processo licitatório que culminou a contratação da empresa responsável pela reforma e também informações sobre o valor inicial e final da obra, além de data de início e entrega da obra concluída.

Questionada pela reportagem de O Regional, a prefeitura negou que a obra esteja paralisada, mas reconheceu que o andamento estaria em ritmo lento.

“A Prefeitura de Catanduva informa que as obras no local estão em andamento. No momento, estão sendo feitos serviços de instalação elétrica e a concretagem da plataforma de embarque. As obras estão em ritmo lento em razão de entraves burocráticos com permissionários de boxes, questão que está sendo resolvida juridicamente. Ocorre que a obra não pode ser concluída enquanto os mesmos não forem remanejados”, explicou a assessoria de comunicação da Prefeitura.

O Governo afirma não haver qualquer previsão para a conclusão da obra iniciada em julho de 2015, gestão do ex-prefeito Geraldo Antônio Vinholi (PSDB), e deveria ter sido finalizada em julho do ano passado quando teve seu prazo aditado.

“A previsão de término era para junho deste ano. Entretanto, o convênio já foi prorrogado e, consequentemente, o prazo para a conclusão – ainda sem data prevista. O valor inicial da obra era de R$ 1.159.920,01, com aditivo de R$ 183.042,60”, completou o Governo.

Em 2016, quando esgotado o prazo inicial para entrega da obra, a reportagem de O Regional apurou que apenas 34% das obras previstas estavam concluídas. A informação, naquele momento, foi da própria assessoria de comunicação do Governo. A prefeitura não detalhou agora quanto falta para concluir a reforma.

Nathália Silva
Da Reportagem Local