Política e Economia

Suplente Pede Afastamento de Vereadores Oposicionistas de Comissão

Assine

O suplente de vereador Nelson Roberto Tozo (PROS) protocolou pedido de afastamento dos parlamentares Aristides Jacinto Bruschi, o Enfermeiro Ari, André Beck e Benedito Alexandre Pereira, Ditinho Muleta, da comissão processante aberta para apurar possível infração político administrativa do prefeito Afonso Macchione Neto. O documento foi lido durante sessão ordinária da Câmara, na noite de ontem (9) e encaminhado para a comissão de ética e decoro parlamentar.
No documento, vereador cita o uso do transporte de ônibus escolares para o serviço de transporte coletivo da cidade e menciona o fato dos três vereadores serem da oposição do governo, alegando ainda serem integrantes de denúncias já feitas sobre o tema.
A comissão processante está em fase de instrução, período aberto para novas provas e novas defesas do prefeito Afonso Macchione Neto, além de coleta de depoimentos de testemunhas arroladas no processo.
Com 11 votos a dois, mais de 2/3 de aprovação no total de vereadores, a Câmara de Catanduva abriu a comissão processante que investiga o prefeito Afonso Macchione Neto e a conduta em utilizar os veículos da frota escolar para a prestação de serviços de transporte coletivo. Votaram a favor da abertura da investigação, Amarildo Davoli, André Beck, Gaúcho, Enfermeiro Ari, Ditinho Muleta, Daniel Palmeira, Ivan Bernardi, Mauricio Gouvea, Nilton Cândido e Onofre Baraldi. Votaram contra a abertura da comissão – Cidimar Porto e Luís Pereira.
Depois da aprovada, os membros da comissão foram escolhidos por meio de um sorteio. Por ordem de chamada, cada vereador teve seu nome escrito em um pedaço de papel e depositou em um envelope. Representantes da imprensa fizeram o sorteio. Foram sorteados Ditinho Muleta, Enfermeiro Ari e André Beck.
No final do mês passado, a comissão processante aberta para apurar possíveis infrações politico-administrativas do prefeito Afonso Macchione Neto no uso de veículos da frota escolar e recursos destinados a educação, protocolou o parecer prévio no qual todos os membros concordavam com a continuidade da instrução processual – ou seja – dar sequência na apuração com depoimentos e outros trâmites para investigação. Não trata-se da fase de pedido de cassação do prefeito. Na defesa, Macchione apresentou mais de 2 mil páginas de material.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local