Política e Economia

Sinval e Beth Reduzem Gastos e Marco Vinholi Aumenta no Começo do Ano

SINVAL, BETH e MARCO são deputados (O Regional)
Assine

Sinval Malheiros Pinto Júnior (Podemos), deputado federal, e Beth Sahão (PT), deputada estadual, reduziram os gastos no começo deste ano quando comparado com o mesmo período de 2017. Já o deputado estadual Marco Antônio Scarasatti Vinholi (PSDB) elevou em 200% os gastos. As informações estão publicadas nos sites da Câmara dos Deputados e da Assembleia Legislativa do Estado (Alesp).
A Câmara traz informações atualizadas sobre os gastos do deputado federal com a cota parlamentar referente aos dois primeiros meses do ano. Em janeiro, Malheiros gastou R$ 20,3 mil enquanto que no mesmo período de 2017 o montante chegou a R$ 40,9 mil. O maior gasto do deputado no primeiro mês deste ano foi com emissão de bilhetes aéreos (R$ 6,5 mil), seguindo por divulgação em redes sociais (5 mil) e consultoria (R$ 650,00). No mesmo período do ano passado o maior gasto também foi com bilhetes aéreos (R$ 11 mil), seguido por consultoria (R$ 10 mil) e combustíveis (R$ 10 mil). A diferença de gastos entre os meses de janeiro dos dois anos foi de 50%.
Em fevereiro Malheiros chegou a gastar 80% menos do que no mesmo mês do ano passado. Foram R$ 9,8 mil neste ano contra R$ 51,6 mil em fevereiro de 2017. O gasto com combustível lidera no mês passado (R$ 6 mil), seguido por serviços de taxis, pedágios e estacionamentos (R$ 2,1 mil). Com bilhetes aéreos foram apenas R$ 1,6 mil. Já em fevereiro de 2017 o maior gasto foi com consultoria (R$ 17 mil), bilhetes aéreos (R$ 11,9 mil) e locação de veículos (R$ 6,8 mil).
Quanto aos deputados estaduais estavam disponíveis na manhã de sábado (10) apenas dados do mês de janeiro. A petista declarou gastos de R$ 18.999,98 em janeiro enquanto que no primeiro mês de 2017 gastou R$ 26.571,86. Serviços gráficos estão no topo dos gastos da deputada nos dois períodos (R$ 8 mil) em cada mês. Em janeiro de 2018 serviços de comunicação estão em segundo lugar (R$ 3,7 mil) enquanto que no mesmo mês de 2017 era material de escritório (R$ 5,2 mil). Locação de bens móveis está em terceiro lugar em gastos neste ano (R$3,5 mil) e, em janeiro de 2017, era locação de bens imóveis (R$ 4,6 mil).
Marco Vinholi foi o único que aumentou gastos no primeiro mês do ano. Em janeiro de 2017 ele prestou contas de apenas R$ 8.879,24 em gastos e neste ano somou R$ 26.685,93. O maior gasto apontado pelo deputado no primeiro mês desse ano é com consultoria (R$ 8 mil), seguindo por material gráfico (R$ 7,9 mil) e serviços de comunicação (R$ 7,6 mil). Já no primeiro mês de 2017 o maior gasto foi registrado com material gráfico (R$ 7,8 mil), seguido por R$ 806,74 com serviços de manutenção de veículos e R$ 272,50 de hospedagem e alimentação. A reportagem não conseguiu contato com o deputado na tarde de sábado, dia 10, para entrevista sobre o aumento de gastos.

Nathalia Silva
Da Reportagem Local