Início - Macchione: “Apenas Minhas Administrações Pagaram o IPMC”
Política e Economia

Macchione: “Apenas Minhas Administrações Pagaram o IPMC”

(O Regional)

“Basicamente, apenas as minhas administrações pagaram o Instituto de Previdência”, disse o prefeito Afonso Macchione Neto (PSB) em entrevista ao Jornal O Regional. O prefeito fez balanço das contas atrasadas envolvendo os servidores públicos que vem tentando pagar.
“Estamos regularizando o IPMC e quero fazer uma observação: basicamente, apenas as minhas administrações pagaram o Instituto de Previdência. Tanto na outra administração, quando pagamos todo o atrasado da administração do PT. Eles não pagaram o IPMC e quando assumimos estava com ameaça de bloqueio de recursos da Prefeitura e nós regularizamos naquele momento. Até então o saldo (do IPMC) era pífio. O Instituto é recente. Começou a ter a forma que tem hoje, se não me engano, datando de 1996. Agora, assumimos da mesma forma. A administração passada não pagou e nós estamos pagando os atrasados do IPMC”, disse o Macchione em relação aos dois parcelamentos referentes aos anos de 2015 e 2016.

Na lista do chefe do Poder Executivo ainda estão quinquênios, contribuições previdenciárias e ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O prefeito classificou suas administrações como sendo para tampar rombos de outros governos. “Nós também pagamos, no passado, os débitos de Fundo de Garantia dos funcionários, muitos já tinham até falecido e as famílias ainda não tinham recebido. Agora, novamente, nós estamos assumindo essa responsabilidade de pagar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Também pagamos INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social). Digo que a nossa administração é para tampar buracos dos rombos que os anteriores deixaram”, completou.
A respeito dos quinquênios, valores aos quais os servidores tem direito a cada cinco anos de trabalho se optarem por receber parte da licença prêmio (90 dias) em dinheiro, Macchione não soube precisar a soma dos pagamentos. O primeiro de três lotes foi pago neste mês e somou R$ 213 mil.
“Aqui estamos privilegiando os funcionários, estamos cumprindo religiosamente, fazendo a lição de casa, pagando em dia, nós que instituímos o cartão assiduidade, o cartão alimentação que antes era cesta básica, enfim, avançamos muito nos benefícios aos funcionários”, disse o prefeito.
Além dos valores citados pelo prefeito, os servidores ainda aguardam decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) a respeito do reajuste salarial de 2015. No começo do ano, Macchione estimou em R$ 15 milhões o valor devido aos servidores.

Nathalia Silva
Da Reportagem local