Política e Economia

Instituto Federal De Catanduva Não Consegue Ter Usina Fotovoltaica

O IFSP de Catanduva não conseguiu critérios de aprovação para uma usina fotovoltaica. As instituições federais de educação profissional e tecnológica de todo o país vão ganhar um incentivo para investir em energia sustentável. O Ministério da Educação (MEC) liberou R$ 60 milhões para a aquisição e instalação de 852 usinas fotovoltaicas em 38 institutos federais, dois centros de educação tecnológica (Cefet) e no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. A proposta deve gerar uma economia de R$ 17,7 milhões, anualmente, com contas de energia elétrica.
O jornal O Regional entrou em contato com o MEC que em nota divulgou “O Ministério da Educação informa que várias unidades, em todo o país, receberão recursos para investimento nesse setor. O Instituto Federal de Catanduva não foi contemplado, neste momento. Para repassar os recursos foi criada uma matriz de distribuição, que levou em consideração dados de eficiência acadêmica (número de matrículas no período da noite, oferta de cursos técnicos e evasão de alunos, por exemplo), a quantidade de unidades acadêmicas de cada Instituição, e o custo da energia em cada região”.
Segundo o diretor do campus de Catanduva do Instituto Federal, Osvaldo Severino contou que infelizmente não foi comunicado oficialmente sobre o assunto.
Cada placa solar, quando em funcionamento, deve gerar, em média, 30,3 MWh/ano. Isso representa, aproximadamente, uma redução de R$ 20,8 mil nas contas de luz de cada instituição. O valor pode variar de acordo com a radiação média dos estados brasileiros e da tarifa vigente da concessionária de energia.
Com isso, o que for economizado, poderá ser destinado para ensino, pesquisa e extensão dos campi. Somente em 2018, as instituições gastaram R$ 168 milhões com energia elétrica.
A energia fotovoltaica utiliza a radiação emitida pelo Sol para gerar energia elétrica. Após a instalação das usinas, mais de 5 mil toneladas de CO2eq (equivalente de dióxido de carbono) devem deixar de ser emitidas para a atmosfera. Cada placa solar tem, em média, vida útil superior a 25 anos.

Ariane Pio
Da Reportagem Local