Política e Economia

Defesa Civil do Estado Vistoria Ponte Caída na Última Semana

TÉCNICOS da Defesa Civil do Estado em Catanduva – FOTO : Assessoria/Prefeitura de Catanduva.

A queda da ponte no cruzamento entre as avenidas Engenheiro José Nélson Machado e Daniel Soubhia, na quarta-feira, dia 12, foi um dos temas abordados pelo prefeito Afonso Macchione Neto (PSB) durante a prestação de contas dos primeiros 100 dias de Governo. O chefe do Poder Executivo contou que técnicos da Defesa Civil do Estado estiveram na terça-feira, dia 18, na cidade para vistoriar a ponte danificada.

Um dia antes, na segunda-feira, dia 17, Macchione esteve em São Paulo na Coordenadoria de Defesa Civil e na Casa Civil do Estado apresentando projetos e pedindo dinheiro para a reconstrução da ponte estimada em cerca de R$ 1 milhão.

“A avaliação faz parte dos trâmites para reconstrução da passagem que está interditada. No local dos fatos, eles levantaram informações sobre as reais condições da estrutura, área afetada pelo estrago e até as conseqüências ao sistema viário e ao abastecimento de água e esgoto devido aos impactos da queda da ponte. A área em detalhes foi fotografada. O material servirá como documento e será anexado ao processo aberto por iniciativa da Prefeitura de Catanduva”, explicou a prefeitura.

Durante a exposição na Praça da Matriz o prefeito começou falando sobre “crise administrativa” e “crise financeira”. Nestes tópicos Macchione apresentou fotografias de equipamentos que estariam danificados e números da suposta dívida deixada pelo antecessor, o ex-prefeito Geraldo Antônio Vinholi (PSDB), que chegaria a R$ 60 milhões. O prefeito que já governou Catanduva em outras duas gestões diz ter deixado R$ 13,5 em dívidas milhões para Vinholi em 2013 e que hoje trabalha com uma previsão de déficit anual da ordem dos R$ 38 milhões.

Na sequência elencou 12 diretrizes para “os 100 dias” com menção a “reconstrução de Catanduva”. Nestes tópicos Macchione falou sobre a projeção de economia com o corte de cargos e renegociação de contratos, pagamentos de dívidas de 2016, limpeza da cidade, compras de medicamentos, segurança e obras em andamento. Neste último item Macchione reconheceu as obras que herdou de Vinholi.

Ao final, o prefeito mandou recado a adversários políticos e prometeu deixar Catanduva da mesma forma que deixou em 2012.

“Calma, meus adversários. Nós estamos apenas começando e eu prometo que, durante esta administração, os moradores verão muito trabalho, dedicação, empenho e honestidade de minha parte e de toda a minha equipe. Começamos 2017 sem absolutamente nada, mas vamos deixar Catanduva do mesmo jeito que a deixamos em 2012”, arrematou.

 

Nathália Silva

Da Reportagem Local

 

Assine O Regional Online