Política e Economia

Davoli Pede Mais 180 Dias Para CEI ‘do Aedes’ Apurar Irregularidades

O vereador Amarildo Davoli (PSB) pediu mais 180 dias para a Comissão Especial de Inquérito (CEI) que verifica a real situação do trabalho de combate a dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, apurar possíveis irregularidades. O requerimento assinado pelo parlamentar foi apresentado ao presidente da Câmara, Luís Pereira.
No requerimento o vereador diz “requeiro à mesa, ouvido o Douto Plenário, na forma regimental, a prorrogação do prazo, por 180 dias, dos trabalhos da Comissão Especial de Inquérito para apurar possíveis procedimentos equívocos com relação ao controle do índice larvar do mosquito Aedes aegypti e consequente combate à dengue”, consta. A proposta foi aprovada por unanimidade entre os parlamentares.
Foi em novembro do ano passado que em depoimento da CEI “do Aedes” funcionária da EMCAa afirmou que o número de visitadores é insuficiente, além de citar desvio de função dentro do departamento.
Ao todo, segundo os depoentes, são 65 visitadores – alguns deles fazem a função de motoristas outros atuariam internamente por problemas médicos. A realização de horas extras também foi comentada. A funcionária da Equipe de Combate ao Aedes Aegypti (Emcaa) respondeu a questionamentos de todos os vereadores integrantes da CEI. Cidimar Porto tentou defendeu o aumento no número de funcionários. “Quando tivemos a epidemia o número era menor de visitadores, agora somando os visitadores e supervisores são 71, isso quer dizer que houve um avanço e que o governo tem se preocupado”, disse. Porto foi interrompido pela funcionária. “Aumentou, mas não o suficiente”.
Na ocasião, o presidente da Comissão, Amarildo Davoli encerrou a tarde de depoimentos informando que “se for preciso convoca mais uma vez os trabalhadores da EMCAa e que espera chamar outras pessoas, como secretário de saúde”, informou na ocasião.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local

/* ]]> */