Política e Economia

Cento e Vinte Estabelecimentos São Fiscalizados Durante Quarentena

Prefeitura de Catanduva

Cento e vinte estabelecimentos comerciais foram fiscalizados pela Guarda Civil Municipal neste período em que foi decretado em todo o Estado a quarentena. Pontos comerciais que não são considerados essenciais devem permanecer fechados para evitar a circulação de pessoas. Locais como padarias e lojas de conveniência podem ficar abertas, mas não podem permitir o consumo no local.
Para o comandante da GCM, Luiz Carlos Larocca, durante as blitz prevaleceu o bom senso entre os comerciantes, já que as orientações da guarda foram bem recebidas. “Avaliamos como positiva a adesão dos comerciantes aos decretos. Quem tentou praticar atividade de forma contrária às normas, foi advertido e orientado”, declara.
Durante as intervenções, foram elaborados dois boletins de ocorrência. Esses casos foram encaminhados à Vigilância Sanitária para providências quanto à multa. Se constatada reincidência, os estabelecimentos terão seus alvarás de funcionamento cassados.
Estabelecimentos comerciais e empresariais que descumprirem as determinações do Decreto sobre a quarenta estarão suspeitos à autuação e interdição. Guarda Municipal é a responsável pela fiscalização. O local que estiver aberto, aquele que não faz parte das exceções, será notificado. Em caso de reincidência, será elaborado boletim de ocorrência e acionada a Vigilância Sanitária para autuação e possível interdição do estabelecimento.
De acordo com as resoluções e decretos municipais – seguindo também a medida assinada pelo governo do Estado, apenas devem ficar em funcionamentos estabelecimentos como supermercados, padarias, postos de combustíveis e ligados ao setor de saúde. Indústrias e construção civil também permanecem inalteradas.

Karla Konda
Editora Chefe