Polícia

Polícia Ambiental Apreende Mais de 600 Quilos de Peixes na Piracema

Operação Piracema começou em novembro e terminou na última quarta-feira (Divulgação Policia Ambiental)
Assine

A Polícia Ambiental de Catanduva apreendeu 671 quilos de peixes na Operação Piracema que começou em novembro e terminou na última quarta-feira (28). No período, também foram aplicadas 109 multas que resultaram em mais de R$ 194 mil. As equipes contabilizaram 338 horas de trabalhos em rios e lagos da nossa região.
Conforme informações do 1º Tenente da Polícia Ambiental de Catanduva, Alonso Wendel Ferreira da Silva, no período também foram apreendidos 7.408 metros de redes. As ações realizadas pelas equipes resultaram em 361 embarcações fiscalizadas, desse número, oito foram apreendidas.
“Aumentaram os autos de infrações, de peixes apreendidos, resultado do aumento do esforço operacional da Policia Militar Ambiental que, em conjunto com a população, conseguiu esses números. O esforço operacional reflete o número de policiais empregados e o apoio da população de Catanduva e região, que passou ocorrências e denúncias fundadas e criminosas para que chegássemos até a captura e apreensão dos materiais”, disse Silva.
Na operação realizada entre os anos de 2016 e 2017 foram 224 horas de equipes em fiscalização, o que resultou em 321 quilos de peixes apreendidos e R$ 203 mil em multas aplicadas a 175 pescadores. Das 261 embarcações que foram fiscalizadas, quatro foram apreendidas pelos policiais. No período também foram apreendidos 5.568 metros de redes. “A Policia Militar Ambiental atende pelo telefone 3531-9610 e está disponível a população 24 horas por dia, sete dias na semana”, finaliza o Tenente.
O período da Piracema é marcado por restrições, já que é a época de reprodução dos peixes. De novembro até fevereiro era proibida a pesca de qualquer espécie nativa da bacia hidrográfica do Paraná, entre elas o piau, a traíra, o mandi e o pacu. O uso de petrechos de pesca profissional como redes, tarrafas, além de arpão são proibidos, assim como as embarcações. A quantidade máxima de pesca na Piracema é de 10 quilos.
Quem é flagrado descumprindo as normas de pesca no período comete crime previsto na Lei de Crimes Ambientais, que tem pena que varia de um a três anos de detenção, além de Auto de Infração Ambiental que parte de R$ 700 com acréscimo de R$ 20 por quilo de pesca apreendido, além de apreensão de equipamentos utilizados na infração.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local