Polícia

Golpe do Falso Funcionário Público Faz Duas Vítimas em Catanduva

A autarquia alerta que os funcionários trabalham com uniformes e identificados (Divulgação/SAEC)
Assine O Regional Online

O golpe do falso funcionário público teria feito pelo menos duas vítimas em Catanduva nos últimos dias. A informação foi divulgada ontem (9) pela Superintendência de Água e Esgoto (Saec). A autarquia alerta para os cuidados a serem tomados.
Nos dois casos, pessoas estariam se apresentando em nome da Saec para a prestação de serviços. O objetivo, na realidade, seria o de facilitar a entrada nas residências para que vítimas fossem feitas. “Em uma das situações, o contribuinte suspeitou da atitude e entrou em contato com a Saec, que esclareceu os fatos”, informa o setor.

A autarquia alerta que os funcionários trabalham com uniformes e identificados com crachás. O acesso de fiscais e instaladores que estejam devidamente habilitados vai da calçada ao cavalete de água e esgoto, sem que seja necessário entrar em cômodos da casa. O setor aponta que não há qualquer tipo de cobrança feita nos domicílios.
“A orientação é que, ao receber a visita de supostos representantes, a população consulte a Saec para confirmar a veracidade do serviço. Outra dica é que o morador não forneça dados bancários ou números de documentos pessoais”, complementa no comunicado oficial.
Em caso de dúvidas com relação a identificação do funcionário ou de denúncia de pessoas se passando por equipes da Saec o telefone (17) 3531-0600 foi disponibilizado.

Outro golpe
Em julho deste ano, outro golpe estaria sendo aplicado na região. A informação veio da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). Na época, uma moradora de Palmares Paulista teria recebido uma suposta notificação para receber aposentaria complementar que seria de R$ 74,8 mil corrigidos, mas para isso, ela teria que efetuar um depósito, referente a custas processuais que chegariam ao valor de R$ 5.040,00.
Como ficou em dúvida sobre a veracidade do documento que recebeu em casa, ela buscou ajuda. No Procon de Catanduva ela teve a confirmação de que se tratava de um golpe. O timbre do papel seria diferente do oficial que é emitido pelo Governo do Estado. O setor alertava que documentos referentes a processos contam com orientação sobre pesquisa digital que pode ser feita pela internet no site do Tribunal de Justiça (www.tjsp.jus.br).

Cíntia Souza
Da reportagem local