Polícia

A Cada Quatro Dias, Uma Mulher é Vítima de Violência Doméstica

Lei Maria da Penha foi criada para proteger mulheres vítimas da violência (Divulgação)
Lei Maria da Penha foi criada para proteger mulheres vítimas da violência (Divulgação)
Assine O Regional Online

A cada quatro dias, uma mulher é vítima de violência doméstica em Catanduva. O balanço de O Regional leva em consideração os 59 atendimentos realizados na cidade de janeiro a julho deste ano. A maior parte das ocorrências dessa natureza que resultam em atendimento médico é praticada pelo atual ou pelo ex-companheiro das mulheres. O número pode ser maior, já que ainda há vítimas que não procuram por ajuda. Os dados são de levantamento da Secretaria Municipal de Saúde da cidade. Amanhã (7), a Lei Maria da Penha completará 11 anos.

Em 2016 foram 117 consultas por violência doméstica, número 14% maior do que o visto em 2015, em que foram 102 vítimas que deram entrada nos postos em busca de consultas. Os dados levam em consideração prontuários analisados pelo setor.

O setor explica que a vítima de agressões, seja ela física, psicológica, moral, tortura, sexual ou financeira deve procurar a unidade de referência para atendimento e tratamento. “Os acompanhamentos vão desde atendimento médico e de enfermagem de imediato até tratamento psicológico e seguimento em unidades especializadas”, explica.

Terceira com maior caso de violência na região

Um estudo divulgado no ano passado pelo Tribunal de Justiça mostrava que Catanduva como a terceira cidade no ranking regional de violência contra a mulher. De 2011 a 2015 foram contabilizados 1.462 novos casos em Catanduva. São José do Rio Preto era a primeira, com 4.605 registros, seguida de Votuporanga, com 1.578. Os dados englobavam a 8ª Região Administrativa Judiciária (RAJ) que conta com 26 cidades que representam 29,78% do total de 15.463 casos novos de violência contra a mulher nos dois últimos anos.

Foram 268.894 registros de violência doméstica e familiar contra a mulher em todo Tribunal de Justiça. Do número total, 115.305 (42,8%) eram de inquéritos policiais.  A análise da série histórica dos últimos cinco anos, apontava para uma média de 53 mil casos novos por ano. Em 2012 o número de violência contra a mulher foi superior aos demais anos. O motivo apontado pelo Tribunal de Justiça seria por conta da expansão das Varas Especializas em Violência Doméstica e Familiar contra a mulher na Capital e no interior, que ocorreu em 2011.

Sobre a Lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha foi criada para proteger mulheres vítimas da violência. Especialistas apontam que com a lei foram registradas mudanças significativas. Antes eram sentenças alternativas, doação de cestas básicas e multas. Agora com a lei, prisões preventivas e medidas protetivas de urgência foram adotadas. Entre elas estão a remoção do agressor da casa onde o casal mora (va) até a proibição da sua aproximação da vítima.

A lei foi feita em homenagem a uma mulher real. Maria da Penha Maia Fernandes que foi vítima da violência doméstica por mais de 23 anos. No período, ela já teria sofrido duas tentativas de homicídio. A primeira, a deixou paraplégica.

Após a segunda agressão ela foi à polícia denunciar os crimes do marido que só foi condenado após 19 anos e ficou dois anos na cadeia. O caso ganhou repercussão na mídia e fez com que o nosso país fosse punido pela OEA (Organização dos Estados Americanos) por não ter mecanismos suficientes para acabar com a violência doméstica contra a mulher.

 

Cíntia Souza
Da Reportagem Local