Polícia

Aposentado Cai no Golpe do ‘Falso Sobrinho’ e Perde R$ 1,3 Mil

Ele teria recebido um telefonema e outro lado da linha uma pessoa dizia ser seu sobrinho (Divulgação)
Assine O Regional Online

Um aposentado teria caído no golpe do “falso sobrinho” e perdeu R$ 1,3 mil em Catanduva. O caso ocorreu na semana passada, mas só foi registrado na última segunda-feira (5) no Plantão Policial. Em outro registro, cartão de vítima foi usado para compras parceladas em 30 vezes.
Conforme informações do boletim de ocorrência, a mulher do aposentado, de 52 anos teria contado à polícia que ele teria recebido um telefonema em que do outro lado da linha uma pessoa se dizia ser seu sobrinho. No relato, a pessoa contava que teria se envolvido em um acidente de carro e que precisava de R$ 1.300 para pagar o mecânico.
Sem desconfiar do que se tratava, a vítima contou que realizou o depósito na conta bancária indicada e só depois teria percebido que caiu em um golpe. O caso é investigado pela Polícia Civil.
Autoridades apontam para o alerta em golpes como esse que já teriam sido registrados em outras ocasiões na nossa cidade. O importante ao atender uma ligação de desconhecidos é não informar dados pessoais e perguntar quem é a pessoa que fala e com quem gostaria de conversar. Em todo país esse tipo de golpe seria praticado.
No mês passado, uma idosa de 71 anos também caiu no mesmo golpe e perdeu R$ 1,5 mil. O dinheiro teria sido depositado para o conserto do carro de um suposto sobrinho. O caso foi registrado em Rondônia.
A única diferença é que nessa ligação um homem se identificava como o representante de uma empresa de carros. Ele teria contado à vítima que o sobrinho dela havia sofrido um acidente e que precisava do dinheiro. Ela fez o depósito e novamente o homem fez contato telefônico pedindo um novo valor. A vítima contou ao marido que suspeitou da ação e procurou a polícia.
Em Santa Catarina, outra vítima também foi feita ainda no mês passado. No caso, um homem de 58 anos perdeu R$ 4.120 mil no golpe. O rapaz que se passava por sobrinho dele teria pedido a quantia, pois teria dito que havia batido o carro e foi culpado pela colisão. Ele dizia que como estava com o documento do carro vencido não podia chamar a polícia. À vítima, o falso sobrinho teria dito que precisava pagar a franquia do seguro e os gastos do hospital.

Vítima recebe 30  parcelas de compras que não fez
Em outro caso registrado no Plantão Policial nesta semana, uma aposentada de 63 anos, moradora de Catanduva, contou à polícia que teria descoberto compras feitas em uma loja de Araraquara com o cartão no nome dela. Uma pessoa teria ido até a loja e feito uma dívida em 15 parcelas de R$ 65,50. A mesma pessoa teria voltado no estabelecimento e no mesmo dia teria feito uma outra compra de mais 15 parcelas só que no valor de R$ 230 em boleto bancário. A aposentada conta que nunca teve cartão do estabelecimento e o caso é investigado pela Polícia Civil.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local