Início - Portas Fechadas
Peneira Fina

Portas Fechadas

O fato que chamou a atenção foi que a imprensa foi impedida de ficar na reunião

Estação de Tratamento I
A Prefeitura de Catanduva realiza no dia 10 de outubro uma Audiência Pública da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). A audiência acontece no plenário da Câmara Municipal, a partir das 9 horas. No evento, a equipe de técnicos do Executivo vai apresentar o projeto da Estação de Tratamento. Segundo informações da Prefeitura, para construir a ETE serão liberados R$ 24,5 milhões. De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Relação de Trabalho (Semdert), os recursos federais, a fundo perdido, foram conquistados no PAC 2 e totalizam R$ 31,3 milhões. Já as contrapartidas assumidas pelo município, para cada liberação feita pela União, somam R$ 1,1 milhão.
CEV do IPMC   
A Comissão Especial de Vereadores (CEV) do IPMC, formada para investigar a mudança do plano de saúde dos municipiários de Catanduva, agendou para o dia 4 de outubro uma nova audiência. Os vereadores estarão ouvindo a gestora dos hospitais da Fundação Padre Albino, Renata Cristiane Armiato. A oitiva será no plenário da Câmara Municipal, a partir das 14h30. A CEV é presidida pelo vereador Onofre Baraldi (PDT) e conta ainda com o trabalho dos vereadores Marcos Crippa (PTB), Nelson Lopes Martins (PSDB), Marquinhos Ferreira (PT) e Vagner Luis Pimpão Bersa (PPS).
Mel da sorte 
O vereador Onofre Baraldi (PDT) buscou no vice-prefeito de Catanduva, Roberto Cacciari (PMDB), uma maneira estranha de ter sorte. Acariciando o braço de Cacciari, comentou que necessitava do “mel” do vice-prefeito para ter sorte. O episódio estranho ocorreu na última quinta-feira, no gabinete do presidente da Câmara de Catanduva, vereador Daniel Palmeira (PDT), que apenas deu o seu tradicional sorriso. Cacciari também sorriu para Onofre, que após o bate-papo retornou ao plenário, onde ocorria o Encontro Interlegis.
Portas Fechadas
O Movimento Alerta Catanduva convidou a imprensa para participar da reunião realizada ontem, na Cúria de Catanduva, onde o deputado estadual Geraldo Vinholi (PSDB) divulgou o agendamento com o secretário da Casa Civil, Sidnei Beraldo, representante do Governo Estadual, que irá dialogar com a comitiva de Catanduva que luta para evitar a construção do presídio na cidade. O fato que chamou a atenção foi que a imprensa foi impedida de ficar na reunião, ou seja, foi autorizada pelos presentes apenas para tirar fotos e deixar a sala. A reunião com o governo foi agendada dia 19 de outubro, às 10 horas, em São Paulo, na Casa Civil.
Portas Fechadas II
O encontro realizado ontem na Cúria contou com novas autoridades. O bispo de Catanduva, Dom Otacílio Luziano Silva, recebeu uma comitiva com quatro representantes do Fórum de Catanduva. A reunião começou às 16 horas e 15 pessoas estavam na sala. No momento das fotografias o silêncio reinou no recinto. A imprensa foi “convidada”  a deixar o local cinco minutos após a sessão de fotos. O Movimento, que encheu a imprensa de elogios pela ampla cobertura das atividades, reuniões e ações anti-presídio, nada fez e também não argumentou solicitando a participação dos jornalistas no local.
Estranho
Na reunião realizada ontem, na Cúria de Catanduva, dois jornalistas (que não representam veículos de comunicação) participaram do encontro. O Regional achou estranho o fato de não poder ficar na sala, já que o convite feito ao jornal visa exatamente a divulgação dos assuntos lá debatidos. Já que os jornalistas assessores participaram da reunião, concluímos que os temas discutidos serão divulgados. De quem será que partiu a idéia de barrar a participação da imprensa? Será que algum presente na reunião vai se manifestar sobre essa “proibição”? Se a foto é permitida, porque a participação da imprensa é vedada?
Novos membros   
O presidente do PDT, Francisco Batista de Souza, o Careca, recebeu ontem o presidente do Sindicato da Alimentação de Catanduva e Região (SINAL), João Agostinho Pereira, que estava sem partido e assinou sua filiação ao PDT. Além de João, também filiaram-se ao partido Sérgio Urize, Emerson de Oliveira, Antonio Lopes, Antônio Fernando Carvalho e Nei Cherubim. Segundo Careca, o presidente do SINAL é nome forte na disputa de uma vaga no Legislativo catanduvense.