Peneira Fina

PENEIRA FINA 28-12-2018

Sem festividades
A Prefeitura de Catanduva não irá realizar festividades na Virada do Ano. Dife­­rentemente de outros municípios, como São José do Rio Preto. Portanto, aqueles que pretendem festejar o Ano Novo com amigos e em festa, de graça, podem procurar pelas opções em outros municípios. Em Rio Preto, os preparativos já foram iniciados para o Réveillon na Represa. A festa, que tem início às 21 horas de segunda-feira (31), terá show com três horas de duração e duas atrações: a dupla JP & Gabriel e, Seu Moço, além do espetáculo pirotécnico de 15 minutos que neste ano, a exemplo do ano passado, terá apenas fogos de baixa sonoridade e multicoloridos.

Shows
O anfiteatro da Represa tem capacidade para 1.500 pessoas sentadas (nos bancos), mas pode abrigar até 4 mil (entre em pé e acomodadas sentadas na arena). Essa área do anfiteatro receberá gradil para controle e segurança do público, sem tirar a visibilidade de quem fica em todo entorno da Represa. O público esperado para todo o entorno da Represa é de cerca de 30 mil pessoas. Não serão permitidas garrafas, copos, taças e qualquer outro recipiente de vidro na área do anfiteatro da Represa que será cercado com gradil e terá revista com seguranças na entrada. Pode entrar com recipientes e bebidas de plástico ou latas.

Como todo começo de ano…
Os catanduvenses já começam receber as boas notícias de início do ano. Desta vez, o reajuste das tarifas de água e esgoto. 4,05% a mais a partir de janeiro de 2019. Apesar da prefeitura e Saec afirmarem que as tarifas são compatíveis com outras cidades até mesmo da região, na microrregião de Catanduva, a realidade é bem diferente.

Para relembrar
No dia 1º de janeiro (Ano Novo) não haverá coleta de lixo em Catanduva. Portanto, a SAEC solicita aos moradores que não coloquem lixo nas ruas na data. Nos demais dias, inclusive no dia 31 de dezembro, a prestação do serviço será realizada normalmente.

Tambaú
O prefeito Afonso Macchione Neto publicou pelas redes sociais que equipe do governo acompanhou a reunião dos representantes da Tambaú e os ex-funcionários da Jundiá. “Estamos envolvidos nesse processo para auxiliar a nova empresa a recontratar os funcionários e, ainda, gerar novos postos de trabalho. Os dirigentes adiantaram que não pretendem alterar vencimentos e estudam a concessão de plano de saúde, um benefício que os trabalhadores não tinham. Para os que eventualmente não consigam ou não queiram tais vagas, disponibilizaremos o cadastro no Posto de Atendimento ao Trabalhador para que outras empresas possam selecioná-los e ofereceremos cursos de aprimoramento enquanto buscam uma oportunidade”, disse o prefeito.

Também participou
O vereador Wilson Paraná também participou da reunião entre a Tambaú e os trabalhadores. “Ainda no dia de hoje participei da reunião do Sr. Ailton proprietário da empresa Tambaú, que vai operar as linhas de transporte urbano de nossa cidade emergente. Na reunião mostrou-se um profundo conhecedor da área de transporte e um ponto que destaco é ele se preo­cupa em prestar um bom serviço à população e também se preocupa com seus funcionários, deixando entender que poderá contratar plano de saúde para os funcionários. Com isso ganhou pontos comigo! Mas isso se a empresa continuar em nossa cidade, através de processos legais é claro. Destaco também, que estes funcionários buscam seus empregos e não querem saber do seguro desemprego, que lhes é de direito! Querem realmente trabalhar para sustentar suas famílias. A eles minha admiração e respeito!”.

Prodeica
O prefeito Afonso Macchione Neto também falou sobre reunião realizada pelo Prodeica. Na reunião, dentre os assuntos tratados, esteve a possível abertura de três novas empresas no Distrito Industrial IV. “Só nessa em­­preitada, a previsão de investimento atinge a casa de R$ 2,5 milhões. Esse novo cenário é resultado dos esforços que dedicamos para regula­rizar áreas, permitindo a venda de terrenos com condições facilitadas”, disse.

15 anos
Em dezembro de 2018 o Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/03) completa 15 anos de vigência. Alvo de debates argumentativos acalorados, em que se contrapõem fervorosas defesas e críticas ao modelo regulatório que consagra, a lei tem como um dos grandes trunfos para a sua manutenção coincidir sua inicial vigência com uma redução dos homi­cí­dios no Brasil, o que se costuma tomar em correlação direta, para de­monstrar a eficácia normativa como instrumento de pacificação social. Contudo, este argumento, que tem sido o mais importante a favor do estatuto, se mostra, em verdade, integralmente falacioso.

Armas
Durante as eleições 2018 muito se polemizou a respeito das propostas dos candidatos presidenciáveis relativas as armas de fogo. O que muitos não saibam, talvez, é que quase todos os cidadãos podem comprar uma arma de fogo, apenas não podem sair na rua com elas. Isso porque, de acordo com o Estatuto do Desarmamento – Lei 10.826/03, é possível que qualquer cidadão acima de 25 anos de idade possa obter uma arma de fogo, desde que atendidos os pré-requisitos. Assim, comprar uma arma já é permitido há muito tempo. O que o estatuto alterou foi o “porte” de arma, desde então proibido em todo o território nacional, salvo em casos excepcionais.

Da Redação

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar