Peneira Fina

PENEIRA FINA – 25/09/2019

Reparcelamento

A prefeita Marta Maria do Espírito Santo Lopes, encaminhou ofício ao Instituto de Previdência dos Municipiários de Catanduva (IPMC) solicitando a aprovação dos conselhos do órgão de um reparcelamento da dívida patronal, que atualmente já tem uma lei aprovada sobre o parcelamento do débito. Esse ofício deverá ser analisado pelos conselheiros e se aprovado deverá ser enviado novo projeto a Câmara estendendo prazo de pagamento e consequentemente, reduzindo o valor das parcelas mensais. É basicamente o projeto que a prefeitura pretendia que fosse votado pelos parlamentares, há alguns meses atrás, mas que tinha o intuito de economizar recursos para o pagamento do dissídio. Neste caso, agora, o objetivo é outro. A administração afirma que não tem recebido repasses do Governo Federal nas áreas de educação e assistência social e, por esse motivo estaria “complicado” efetuar o pagamento do parcelamento atual. Tanto que neste mês já foi feita a quebra de ordem cronológica de pagamento ao IPMC.

Um dos projetos

Esse será um dos projetos que a prefeita Marta Maria do Espírito Santos Lopes, se aprovado pelos conselheiros, deverá encaminhar a Câmara visando economia nas contas municipais para poder arcar com todas as despesas. Isso segundo a entrevista da Chefe do Executivo, dada a VOX FM nas últimas semanas.

 

Vem mais

E não deve parar por aí. Na entrevista a prefeita afirmou que pretende enviar alguns projetos nesse sentido e até solicitou a colaboração dos parlamentares.

 

Crítica

Marta afirmou que as contas da prefeitura estão em uma situação crítica e tende a piorar. O mesmo discurso foi apresentado pela secretária de finanças, Solange Variani Fonseca, na audiência sobre o orçamento de 2020. Para ela, o cobertor está curto.

 

Parcelamento

E se não bastasse o parcelamento da dívida com o IPMC, há expectativa, dita inclusive na audiência pública, de possibilidade de pagamento parcelado do Décimo terceiro deste ano dos servidores municipais. A informação caiu como uma bomba nas redes sociais.

 

Há quem cobre

Há quem cobre atitude também dos vereadores neste aspecto e voltam a culpar o dinheiro utilizado para a canalização do rio São Domingos, obra que custa em torno de R$ 10 milhões.

 

Oremos

Na atual situação que vemos como anda as finanças municipais, o jeito é apelar para religiosidade e orar para que as coisas melhorem. Afinal, emendas e dinheiro têm chegado dos deputados estaduais e federais, mas são recursos que já vem para ser utilizados em obras e trabalhos exclusivos.

 

Esperança

Uma pequena esperança surge com o novo refil da prefeitura. Que deve injetar algum dinheiro aos cofres públicos que poderia ser considerado perdido ou pelo menos que demorariam para entrar. O novo parcelamento de débitos começa a valer em primeiro de outubro.

 

Enquanto isso

A prefeitura tem recebido alertas do Tribunal de Contas do Estado sobre a gestão fiscal e a diferença entre o estimado de receita com o real valor arrecadado.

 

Orçamento 2020

Tanto é que para o ano que vem, como ja divulgamos em edições anteriores, a peça orçamentária vem mais enxuta. E para a secretária de finanças não tem esperança em receber os repasses do Fundeb e da Assistência Social esse ano.

 

Verba para HCC

O deputado federal Comandante Guilherme Derrite (PP) destinou emenda de R$ 100 mil para custeio para o Hospital Emílio Carlos e Hospital de Câncer de Catanduva, liberada pelo governo federal. Na segunda-feira (23), acompanhado do Comandante do Corpo de Bombeiros de Catanduva, José Luciano Val, e do Tenente Rafael Fantini, o deputado visitou as instalações dos hospitais e toda a estrutura da Fundação Padre Albino. Segundo Derrite, a verba foi uma solicitação do Comandante Luciano, que já conhecia o trabalho realizado pela FPA.