Peneira Fina

PENEIRA FINA – 25/01/2020

Prorrogação
Informações dão conta de que o prefeito Afonso Macchione Neto teria solicitado à justiça prorrogação de prazo por mais 60 dias para entregar os cálculos sobre os valores que são precisos ser pagos aos servidores municipais sobre o dissídio de 2015. O Tribunal de Justiça, por sua vez, teria concedido mais 30 dias e não 60, como tinha sido solicitado.

Cidade Limpa
A prefeitura de Catanduva realizará em fevereiro o projeto Cidade Limpa, para a retirada de objetos, móveis e outros . Esse trabalho já é feito por meio da coleta de volumosos, com data agendada.

Uma dica
Talvez a prefeitura possa estudar a possibilidade de recolher pequenas quantidades de restos de materiais de construção. Como telhas, blocos, pisos, vasos sanitários, tanques, pias dentre outros. Muitos moradores que fazem pequenas obras, nem sempre arcam com a despesa de caçambas, que na maioria das vezes são alugadas por dia. E mantém, nos quintais esses restos das obras, já que não podem ser colocados no lixo comum ou não existe um serviço de recolha gratuito.

Compra briga
Logicamente que, para providenciar uma ação como esta, o governo compraria certa briga com empresas que fazem esse trabalho. Mas não precisava ser durante todo o ano, não. Considerando a emergência e a quantidade de locais com focos do mosquito Aedes Aegypti, seria também uma ação provisória, com certeza ajudaria a limpar mais quintais e retiraria materiais que além de poder acumular água, pode ainda atrair outros tipos de bichos, como escorpiões e baratas.

Recicláveis
Outra dica, se é que isso já não é feito, é repassar garrafas de vidro, pet, ou outros materiais reciclados que entrarem no rol de inservíveis jogados pela população no projeto Cidade Limpa para as cooperativas.

Separação
Porque bem sabemos que não são todos em Catanduva que mantém a rotina de separar os recicláveis de lixos orgânicos ou mantém esse tipo de produto deixado “num cantinho” de casa. Já vimos isso até mesmo nas publicações feitas pela prefeitura em locais onde encontraram larvas dos mosquitos.

Sem arrombamento
Informações dão conta de que a Secretaria Municipal de Saúde realizou recentemente uma reunião para tratar sobre os casos de dengue e que a medida de “arrombar” imóveis para inspeção foi descartada.

Será preciso
Se a prefeitura não pensar com carinho em verificar as casas fechadas, principalmente as vazias, para venda ou locação, por exemplo, vai ser difícil ter um total controle sobre os focos de aedes. Até porque temos na cidade um número grande de casas fechadas, em horário de visitação e casas sem moradores, neste caso, como saber se estão sendo mantidas ações de controle?

Sangue x dengue
A grande quantidade de moradores de Catanduva com suspeita de dengue e a queda, consequementemente das plaquetas, tem gerado a diminuição também do estoque de sangue do Hemonucleo de Catanduva. Por isso, aquelas pessoas que cumprem os requisitos para a doação de sangue, podem comparecer ao hemonucleo e colaborar. Todo tipo sanguíneo é aceito. Vamos colaborar!

O que ganha?
A prefeitura vai custear as passagens de ônibus circular para os alunos que estudam na rede pública por meio da Auto Viação Suzano. Esses estudantes já tinham direito a utilizar o transporte escolar do município, que por sua vez, deixará de atende-lo. Com a mudança, a administração tem o foco em economizar.

Em que?
Ao que parece, e pela lógica, a prefeitura economizaria em horas extras de motoristas, manutenção dos veículos da frota municipal. Agora se os alunos vão aprovar já é uma outra história.

Antes
Porque antes, eles tinham a possibilidade de sair direto do local onde costumavam pegar o ônibus e ir para escola. Agora terão de acompanhar todo o itinerário do transporte coletivo e parar no ponto mais próximo da escola e de casa.

PROJETO
A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) poderá passar a exibir o tipo sanguíneo e o fator RH do motorista, além da opção do titular pela doação de órgãos e tecidos. É o que prevê o PL 3.616/2019, que está sendo analisado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). O texto está com o relator, senador Fabiano Contarato (Rede-ES), que apresentará seu parecer.Atualmente a carteira de motorista tem como itens obrigatórios a fotografia, a identificação e o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). Para o senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL), autor do projeto, incluir as informações sobre tipo sanguíneo pode facilitar o atendimento de urgência ou emergência em casos de acidentes graves ou outras situações que demandem transfusão urgente de sangue.

Em casa
O Projeto de Lei 6152/19 assegura a pacientes com mobilidade reduzida o direito a atendimento domiciliar pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo a proposta, pacientes nessa condição, de modo transitório ou definitivo, deverão ter acesso a serviços de saúde na própria residência. O texto altera a Lei Orgânica da Saúde, que dispõe sobre o SUS, e está em análise na Câmara dos Deputados.

Da Redação