Peneira Fina

PENEIRA FINA – 18/11/2019

Boa iniciativa
Foi instalada no Terminal Urbano de Catanduva uma geladeira cheia de livros que podem ser lidos por moradores da cidade de forma gratuita. Trata-se do projeto Geladeira literária, no qual trazemos uma reportagem também nesta edição. A leitura é essencial para adquirir conhecimento, aprimorar o português, dentre outros. E desta forma, podemos dizer, que fica mais fácil ao interessado garantir uma boa leitura, sem a necessidade de sair da sua rotina para retirar um exemplar. O objetivo do projeto “Fast Book” é fomentar o hábito da leitura entre os catanduvenses das mais variadas faixas etárias, inclusive os estudantes que frequentam o local. Para atrair cada vez mais o público, os temas escolhidos para o projeto são diversos. A Geladeira Literária contará com uma fase de teste, com 90 dias de análise sobre a adesão da população ao projeto. Como é gratuito, os moradores têm total liberdade para escolher o livro de preferência. Mas atenção: para garantir que cada vez mais pessoas compartilhem a mesma história, é necessário devolver cada obra após a leitura.

Alerta
A prefeitura de Catanduva tem divulgado alerta para que os moradores autorizem a entrada de agentes da Equipe de Combate Ao Aedes Aegypti. Muitos negam a entrada dos profissionais e, desta forma, o imóvel fica sem a devida análise sobre possíveis focos de dengue. Além de buscar a conscientização sobre a permissão de entrada, a administração reforça o que é muito importante – todos os agentes estão devidamente uniformizados e com crachás de identificação. Portanto, se baterem na porta, disserem que é do controle de dengue e não tiver autenticação, não abra.

Obras no Alpino
O vereador Aristides Jacinto Bruschi, Enfermeiro Ari, foi até a obra que é realizada na rua Mongaguá no Jardim Alpino. Em vídeo afirmou: “Estamos no Jardim Alpino verificando as obras realizadas aqui no bairro e constatamos que é mais uma obra padrão Afonso Macchione Neto. Obra porcaria, mal feita, dinheiro público jogado fora e que me conteste diante das imagens. Temos relato de moradores de uma senhora que caiu, de um carro que caiu nesse local. Essa obra já está paga e esta nesta situação”. A rua permanece sem pavimentação, foram construídos bueiros e galerias, mas ainda não foram terminados.

DESAFIOS
O secretário de Saúde, Ronaldo Gonçalves Junior, afirmou em entrevista para VOX FM, que o projeto Acesso Avançado pode ser implantado também nas unidades básicas de saúde no modelo tradicional, porém, nesses postos ainda é mais difícil fazer a mudança. “Estamos estudando caminhos para estender para UBS”.

Conscientização
O secretário afirmou ainda que outro desafio é a conscientização da população sobre o papel desempenhado pelas equipes multiprofissionais das unidades. Segundo eles, moradores não entendem que outros profissionais como enfermeiros, estão aptos para prestar diversos atendimentos e não somente médicos.

Mais um caso
Mais um caso de sarampo foi confirmado em Catanduva. Não há detalhes sobre o paciente. A informação foi acrescentada em texto encaminhado pela Assessoria de Comunicação da Prefeitura avisando sobre o inicio da segunda fase da campanha de vacinação contra a doença. Com isso, o número de pessoas que tiveram sarampo em Catanduva sobe para 5.

Investigação
A Procuradoria Geral do Estado de São Paulo abriu procedimento administrativo disciplinar para apurar a conduta do professor, de 52 anos, suspeito de enviar áudios e mensagens com conteúdo sexual para uma aluna, de 12 anos, que estuda na mesma escola em que o docente leciona, em Ariranha (SP). A decisão foi tomada após a Diretoria Regional de Ensino de Catanduva (SP) finalizar a apuração preliminar e decidir pela abertura imediata do processo administrativo disciplinar. O professor está afastado das atividades em sala de aula, mas continua exercendo atividades administrativas no núcleo financeiro.

Indenização
De acordo com o levantamento da Seguradora Líder, São Paulo (61.322) e Minas Gerais (42.778) registram os maiores quantitativos de acidentes fatais ocorridos e indenizados pelo seguro obrigatório (DPVAT). Após o prazo de três anos para solicitar o benefício, a projeção é que tenham sido pagos mais de 62.387 e 43.546 seguros por morte, respectivamente. Na sequência aos dois primeiros colocados, estão Paraná (27.544), Bahia (27.494) e Rio de Janeiro (26.254). Depois do período prescricional, estima-se que terão sido mais de 28 mil pagamentos no Paraná e na Bahia, e mais de 26 mil no Rio de Janeiro em função de acidentes de trânsito fatais.

Mapa
O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) lançará, no dia 28 de novembro, uma plataforma virtual que trará o mapeamento da situação do tratamento dos resíduos sólidos em todos os 644 municípios do Estado (exceto o da Capital). O levantamento será apresentado ao público durante a realização do Seminário Semear, que nesta edição terá como tema ‘Resíduos Sólidos: O lixo gerando oportunidades’. As inscrições, gratuitas, estão disponíveis por meio do link http://bit.ly/2Xc1QB2. Os dados que integram o levantamento começaram a ser colhidos pelo TCE junto aos municípios desde setembro deste ano. As informações serão tabuladas na forma de gráficos e indicadores para acesso público por parte dos interessados. O ‘Mapa dos Resíduos Sólidos’ levará em consideração pontos como o cumprimento da legislação, existência de locais apropriados e infraestrutura para armazenagem dos resíduos, triagem, descarte e seletividade de materiais, bem como a existência de políticas públicas para a área de Educação Ambiental. Catanduva poderá ser pesquisada.

PEC
A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), senadora Simone Tebet (MDB-MS), disse que a PEC da prisão em segunda instância (PEC 5/2019) será votada no colegiado nesta semana. Ela registrou que seu dever é pautar qualquer projeto que seja da vontade da maioria dos senadores e acrescentou que a PEC será o primeiro item da reunião do dia 20 de novembro. Simone disse que acertou com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, um procedimento mínimo para a tramitação da PEC na CCJ e no Plenário. Segundo a senadora, as mudanças de interpretação no Supremo Tribunal Federal (STF) trazem instabilidade jurídica e política ao país. Ela afirmou que é responsabilidade do Congresso se posicionar sobre o tema e não se pode tratar do assunto com base em caso específico, como o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da SIlva.

Da Redação