Início - PENEIRA FINA 16/05/2021
Peneira Fina

PENEIRA FINA 16/05/2021

O Regional

A POLÊMICA VOLTA
A educação municipal prorrogou mais uma vez o início das aulas presenciais, agora com previsão para o dia 07 de junho. O comunicado, divulgado na tarde de sexta, leva em conta os altos índices de contaminação da covid em Catanduva. O assunto continua gerando infindáveis discussões, entre os envolvidos. É mais do que fato que o ensino, principalmente das crianças, ficará defasado em um nível difícil de recuperar. Mas, por outro lado, existe um grupo muito grande que está preocupado com esse retorno às salas de aula – incluindo pais e professores. Para acompanhar as calorosas discussões, basta prestar atenção aos comunicados postados pela prefeitura em suas redes sociais sobre o assunto. A chuva de comentários evidencia o momento turbulento – a propósito, muitos professores se manifestam e a maioria conclama por vacina para todos. Em um dos comentários, uma professora lembra que Catanduva está no ápice da pandemia e que o único hospital que atende a categoria é o São Domingos, que hoje está acima da sua capacidade – todos temem a falta de leito.

NOVO VELHO NORMAL
A expressão “novo normal” já foi tão usada, desde que a pandemia eclodiu, que ela já tem se tornado obsoleta. Afinal de contas, não teve setor que não sofreu algum tipo de impacto e a reinvenção foi geral. Mas, realmente, essa situação fica muito delicada, em si tratando de educação, já que o sistema é muito complexo e tem suas próprias exigências. O que se sabe é que os profissionais da área têm lotado consultórios, em busca de saúde mental, com sintomas depressivos. Grande parte não estava preparada para essa realidade virtual que a quarentena apresentou e, ao contrário do que muita gente imagina, as exigências aumentaram e muito. E, no campo da empatia, os pais também não estão mais sabendo lidar com o prolongamento das aulas remotas.
No fim, está todo mundo perdido, literalmente.

CALENDÁRIO
Segundo o comunicado de urgência, assinado pela Secretaria Municipal de Educação, Claudia de Carvalho Cosmo, o início das aulas presenciais deve ter redução do número de alunos e sistema de rodízio – a logística será divulgada em outro momento. No mais, agora as escolas municipais seguem as orientações: Horário de funcionamento das escolas: das 07 às 17 horas (até dia 02/06); As aulas permanecerão remotas de 18/05 a 02/06; Previsão de início das aulas presenciais: 07/06/21.
ARRECADAÇÃO EM ALTA
Um dos produtos mais inflacionados do mercado, e que mais impactam o orçamento domiciliar de quem tem criança, é o leite longa vida. Mas uma campanha desenvolvida em tempo recorde (15 dias) conseguiu arrecadar 627 litros de leite, que serão entregues às famílias necessitadas, atendidas pelo Fundo Social de Solidariedade. A ação foi conjunta entre Sincomercio e Conselho da Mulher Empresária e recebeu ainda mais de 700 quilos de alimentos. O sucesso foi graças ao apoio de mais de 30 lojistas de diferentes segmentos de Catanduva.

PLANO PLURIANUAL
Amanhã (17) tem audiência pública na Câmara Municipal de Catanduva, a partir das 15 horas. A pauta é a discussão do projeto de lei 75/2021, que dispõe sobre o plano plurianual para o quadriênio de 2022/2025. Será mantida, devido ao Plano São Paulo, a capacidade de 25% de lotação de público no plenário. Além disso, também haverá transmissão ao vivo pela rádio VOX FM. Quem tiver sugestões, podem encaminhar para o e-mail: audienciapublica@catanduva.sp.leg.br até as 14 horas de segunda-feira.
NOVA VELHA CATANDUVA
A Peneira Fina recebeu algumas reclamações de moradores dos bairros Nova Catanduva I e II, referente ao que eles têm chamado de “descaso”.
Segundo relatos, o posto de saúde que atende os dois bairros – e até moradores do Imperial – está superlotado. Por conta da logística, muitos suspeitos de covid são atendidos no local e isso tem gerado preocupação. Além dessa questão, a população daquela área se diz marginalizada pelos serviços urbanos, inclusive de manutenção, que parece estar focado em bairros apenas da região central do município.

MANIFESTAÇÃO AGENDADA
Essa semana tem uma manifestação programada para acontecer em frente ao prédio da Prefeitura de Catanduva. Quem realiza o movimento são os antigos funcionários da IAPEMESP, empresa responsável pela gestão da UPA de Catanduva em 2015, quando declarou falência. Na ocasião, os profissionais foram dispensados e não receberam seus acertos. A questão foi parar na justiça, que transferiu a dívida para a prefeitura – que havia contratado a gestora – e determinou a primeira ordem de pagamento em 2018. Como não foi efetuado o acordo, uma nova decisão solicitou novamente o pagamento esse ano.

ACERTO DE CONTAS
A dívida da IAPEMESP totaliza aproximadamente R$ 2,3 milhões, que agora caem sobre o mandato do prefeito Padre Osvaldo. Os manifestantes querem cobrar esse acerto, através de acordo individual. Caso isso não ocorra, o processo pode seguir na justiça e ser encaminhado para o trâmite precatório, dificultando o recebimento dos ex-funcionários. O momento é mais do que propício para se ter uma noção da importância do papel exercido pelos profissionais de saúde, não é? Na semana passada foi comemorado o Dia Internacional do Enfermeiro, mas homenagem, mesmo, seria ter seus compromissos honrados. Vamos ver no que dá.