Peneira Fina

PENEIRA FINA 13/11/19

Foi para isso mesmo?
A presença do Bispo que seria para falar da Diocese de Catanduva, que falou a princípio, mas foi aproveitada para falar publicamente sobre uma possível hipótese ou suposto interesse de padre Osvaldo de Oliveira Rosa concorrer as eleições municipais ano que vem. O bispo não teve opção senão rechaçar a ideia de uma candidatura, de forma pública e ao vivo. Mais do que isso: teve de falar também sobre a situação da venda de lotes num projeto que é feito pela Associação Pão Nosso, de Padre Osvaldo. Ao final, afirmou que o ideal seria tratar e questionar sobre essa questão o próprio padre, já que o projeto é da associação e não da Igreja Católica.

Situação
A situação deixa claro que uma possível aproximação de padre Osvaldo com partidos políticos incomoda bastante em Catanduva. Mas praticamente em toda eleição há essa conversa de que o pároco seja candidato ou que apoie algum candidato. Vamos aguardar o desenrolar da história.

Sessão longa
Como era esperado, a sessão da Câmara foi mais longa do que o comum. O bispo foi sabatinado por mais de uma hora. Antes dele teve a entrega de Moção de aplauso e a leitura dos expedientes.

Retirado
A prefeita Marta Maria do Espírito Santo Lopes afirmou que pretende retirar o projeto de lei que muda regras para o funcionalismo. “O artigo 108 mesmo os da ativa, já perdemos. Isso pelo Governo Federal – infelizmente, o Governo Federal já bloqueou não se tem mais esse benefício. Já aprovou, já assinou, nós funcionários públicos já perdemos. Eu entendi que esse meu projeto perdeu o objeto, porque nesse artigo 108 já não pode fazer mais nada. Se vier uma lei federal, mediante essa decisão federal, temos inúmeras PECs e definições a vir pelo funcionário público, entendo que seria melhor eu retirar esse objeto”.

Pacote de maldades
“Não sei como esses projetos surgiram como pacote de maldade. Tenho mais do que nunca interesse na saúde do IPMC. Pretendo viver bastante para conseguir a minha aposentadoria. Vamos esperar o que vai acontecer. Espero que o governo federal não consiga tirar tantos benefícios do servidor público”, disse Marta.

Refis
A prefeita e a secretária de finanças, Solange Cristina Variani Fonseca, afirmaram que o refis deste ano já arrecadou R$ 1,1 milhão. Valor já depositado em caixa em pagamentos à vista ou entrada de parcelamento. Esse valor somente referente ao refis da Prefeitura.

UPA
A prefeita mencionou ainda a utilização de R$ 1 milhão do duodécimo da Câmara para a construção de um pronto atendimento no Gabriel Hernandez. Segundo ela será uma unidade semelhante a UPA, mas num tamanho menor.

Pergunta feita pelo Ari
“Algum tempo atrás, na época de Macchione, por diversas vezes, eu disse que ele era caloteiro, porque ele fez um compromisso com os servidores e depois ele falou uma série de problemas e não pagou. Os funcionários estão esperançosos em ouvir algo sobre pagá-los. Vinculada a devolução da Câmara municipal – cada gabinete estaria economizando R$ 400 mil. E que seria pago então pelo menos o vale alimentação”.

O presidente
“Parei meu serviço, fico o dia inteiro da Câmara. E a economia é dividida por gabinete. Eu não ligo, gostei até da conta. Mas tenho de rir. Cortei um monte de coisa que existia nas administrações passadas e agora os gabinetes é que economizam”, disse Luis Pereira.

São Vicente de Paulo
A prefeita também comentou sobre a mudança realizada no trânsito da avenida São Vicente de Paulo. Disse ainda que era uma demanda, um estudo realizado em 2017 e que a intenção é ampliar a mão única de direção. “Hoje passei lá, estava fluindo muito melhor, a intenção é continuar. Toda mudança gera insatisfação. Naquele quarteirão já tem estacionamento, pode parar na porta das lojas. Desde que eu tenho estudo de 2017, desde que tenho dois processos do ministério público, eu entendi que superamos e vai fluir muito melhor, mediante a todos os conflitos , eu não poderia estar escutando meia dúzia. Vai beneficiar o maior. Mas nada nessa vida é definitivo. Sempre estamos estudando o trânsito”.

Saúde
Governo do Brasil vai distribuir R$ 2 bilhões a mais de recursos a partir do próximo ano para os municípios que melhorarem a saúde dos brasileiros. A estratégia faz parte do Programa Previne Brasil, lançado nesta terça-feira (12), em Brasília (DF), pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Com isso, 50 milhões de brasileiros que não eram acompanhados passarão a ser amparados pelos serviços de saúde da Atenção Primária, que cuida dos problemas mais frequentes, como diabetes e hipertensão através de consultas médicas, exames e vacinação.