Peneira Fina

PENEIRA FINA – 11/03/2020

E a bomba estourou
Como muitos já diziam que já esperavam, o prefeito Afonso Macchione Neto perdeu na Justiça e teve seu recurso negado pelo TJ. Além disso, Macchione teve a liminar concedida para se manter no cargo de prefeito derrubada e com isso, assim que notificado e decisão for publicada, deverá deixar a prefeitura. Também não é nem preciso dizer que o meio político ontem esteve alvoroçado. Uns comemoraram a decisão, outros nem um pouco. Marta Maria do Espírito Santo Lopes deve reassumir o posto que será deixado por Macchione. Mas no começo da tarde havia uma “campanha” torcendo para que ela desistisse e que Luís Pereira ocupasse a cadeira do Legislativo. Veremos o desenrolar nos próximos dias, senão hoje ainda.

E a cidade?
Independentemente de quem entra, mais uma mudança na cadeira do Executivo vai fazer com que a engrenagem gire devagar. Até Marta voltar a se colocar em sintonia com os projetos e planos traçados até agora vai levar um tempinho. E ela não tem muito tempo para isso. Terá de arregaçar as mangas para que a cidade não pare.

Parados
Enquanto não se define, os projetos encaminhados ao Legislativo receberam os pedidos de vistas. Até que Marta sinalize como apoiadora das propostas já elaboradas por Afonso Macchione Neto.

Falamos em Marta
Citamos Marta, porque já houve uma breve sinalização da vice prefeita de que retoma o cargo que será deixado forçadamente, por Macchione. Por isso, não cogitamos, tanto, a ida de Pereira para a prefeitura.

Se for
Se Marta renunciar o posto de prefeita de Catanduva, Luís Pereira como presidente da Câmara assume. Mas tem um porém. Pereira ficaria impossibilitado de disputar mais uma vez uma vaga no legislativo nesta eleição. Ele só poderia participar do pleito neste ano se for como candidato a prefeito.

Uma faca de dois gomes
Assumir a cadeira do Executivo pela primeira vez e ficar por nove meses e alguns dias e disputar uma possível eleição para o cargo ou tentar mais uma vez, ficar no Legislativo no qual tem mais de 20 anos presente?

Ia assumir
Pereira em entrevista para VOX FM e O Regional afirmou que aceitaria o desafio e ainda prometeu: Se eu assumisse a prefeitura iria traçar um plano para pagar o dissídio de 2015 dos servidores municipais, de forma parcelada, mas com incorporação ao salário num prazo de 60 a 96 meses.

Os dois lados
Ouvimos ainda os dois lados da moeda. O vereador André Beck e Cidimar Porto. “Momento ruim que, mais uma vez, a cidade enfrenta, a mudança de prefeito. Sabemos que isso não é o ideal, nunca nenhum vereador quis que houvesse a cassação do prefeito, mas estamos aqui como servidores públicos, temos a função pública sob pena de sermos responsabilizados inclusive juntamente com o gestor municipal. Na época foi feita a análise por duas comissões processantes, as duas por 10 e 11 votos votaram pela cassação por infração política administrativa e a decisão do judiciário veio a confirmar as decisões da Câmara, que nós realmente analisamos de forma técnica e não houve uma questão política, observamos as provas e testemunhas, fizemos tudo dentro da ampla defesa. E ficou comprovado nas duas comissões. Eu acho que a Justiça vem neste momento a respaldar e chancelar a decisão dos vereadores”, disse Beck.

Tristeza
“Eu recebi a notícia com tristeza. Nenhum ser humano se alegra com a injustiça. Para mim foi uma injustiça muito grande, não só com o prefeito Afonso Macchione, mas também com a nossa cidade. O prefeito, ele é um administrador, não é um político como vemos outras situações. Ele sabe trabalhar com seriedade, competência e dedicação. E era isso que ele estava fazendo com a nossa cidade”, disse Cidimar Porto.

Candidatos e candidaturas
Há quem diga que possíveis pré-candidatos e seus possíveis apoiadores apenas aguardavam esse desfecho de Macchione para concluir seus projetos visando a eleição municipal deste ano. Macchione mesmo em meio a muitas críticas no atual governo ainda é visto como nome forte e o cenário mesmo que com uma pequena possibilidade de candidatura a reeleição, muda, segundo alguns políticos.

Já se organiza
A derrubada da liminar e o recurso sendo negado ainda não finaliza o trâmite do processo movido por Macchione. E o grupo do ainda prefeito já tem se organizado visando compor o equipe para as eleições municipais. Cidimar Porto afirmou ontem que reuniões estão sendo realizadas e que sim, um grupo vai se formar nesse ano daqueles que seguem o ritmo de trabalho de Macchione. Sobre ele tentar uma candidatura, Porto afirmou que isso fica como decisão pessoal de Macchione.

Aprovado
Os vereadores de Catanduva aprovaram as prestações de contas do ex-prefeito Geraldo Vinholi do exercício de 2016. As contas receberam inicialmente pareceres desfavoráveis do Tribunal de Contas, mas Vinholi entrou com recurso e solicitou a revisão da decisão. Os conselheiros analisaram os novos documentos e decidiram emitir novo parecer, desta vez, favorável a Vinholi.

Hoje
E a Comissão Especial de Inquérito (CEI) da dengue deve entregar hoje o relatório final que deverá passar pela análise do plenário do Legislativo. Ao que tudo indica será, mais uma vez, uma bomba jogada no colo de Macchione.

Interdição
A SAEC (Superintendência de Água e Esgoto de Catanduva) informa que a rua Belém, região central da cidade, será interditada entre a avenida 24 de fevereiro e a rua 21 de abril, nesta quarta-feira, dia 11, a partir das 7 horas. Para a ocasião, estão previstos serviços de substituição de ramais de água e esgoto em dois imóveis. A previsão é de que os trabalhos se estendam até as 15 horas. A orientação é que os motoristas evitem o trecho no período de execução dos serviços.

Da Redação