Peneira Fina

PENEIRA FINA – 11/02/2020

Dengue
Sobe para quatro, o número de mortes confirmadas por dengue em Catanduva. Na mesma velocidade também aumentou o número de casos confirmados e as notificações que ainda são investigadas. São agora 1130 casos de dengue e outras 2220 pessoas que aguardam resultados dos exames laboratoriais. Mais de 400 pessoas foram atendidas no final de semana nas três unidades de saúde de bairros abertas. O movimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) segue intenso. Os hospitais também se mobilizam. O Hospital Unimed São Domingos (HUSD), da Unimed Catanduva, elaborou um plano de contingência a fim de diminuir a espera dos usuários no Pronto Atendimento. A medida visa humanizar o atendimento aos pacientes que buscam a unidade hospitalar para cuidados médicos, principalmente aqueles com suspeita de dengue. Para otimizar os serviços, foi criada – há quase duas semanas – uma ala exclusiva para o atendimento a pacientes com suspeita da doença causada pelo Aedes aegypti. De acordo com informações da Coordenação de Recepção, a média é de 76 pacientes atendidos por dia neste novo espaço.

Mobilização
Uma mobilização tem sido organizada para tentar convencer o Executivo de que agora é o momento de se implantar o Hospital da dengue em Catanduva. Uma reunião deve definir as estratégias para esse fim. Todos os setores e segmentos da cidade estão sendo convidados.

Enquanto isso
A prefeitura afirma que ainda não é o momento de abrir um hospital da dengue e que as unidades de saúde estão dando conta do trabalho. O prefeito Afonso Macchione Neto falou com a reportagem de O Regional a respeito. A matéria completa será publicada na edição de amanhã.

Todo sentido
O caos no Brasil todo criado pelas chuvas de verão que existem desde antes do descobrimento, tem a ver também com um hábito nacional. Em outubro de 2020 inverta: Não jogue o entulho na rua e o voto no lixo; Jogue o entulho no lixo e o voto na rua. E pra lembrar que enchente, desemprego, transporte público ruim, educação fraca, buraco na rua, leis inúteis, atingem a todos.

Refeitório
Imagens divulgadas pelas redes sociais mostram a demolição de prédio que antes era utilizado como refeitório de atletas no Estádio Silvio Sales. Em nota, a prefeitura respondeu sobre a demolição. “A Prefeitura de Catanduva informa que, pelas regras atuais, aquelas estruturas dentro do espaço do estádio, não poderiam ser utilizadas. Além disso, a demolição foi necessária diante da deterioração do prédio, por conta da ação do tempo. Em avaliação feita por técnicos da Secretaria de Obras e Serviços, constatou-se que não seria viável recuperar os danos existentes”.

Nebulização
O cronograma de nebulização para o combate ao mosquito Aedes Aegypti continua. Hoje, os agentes percorrerão as ruas dos bairros Vila Motta e Jardim Santa Rosa. Os moradores a orientação de manter janelas e portas abertas, cobrir alimentos expostos e bebedouros de animais.

Coronavírus
O Brasil permanece sem registro do novo coronavírus que já atinge 24 países além da China. Porém, segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o momento agora é de vigilância e de planejamento de diferentes cenários. “Temos que trabalhar desde o cenário super otimista, de que não teremos casos, o realista, que é o que tem probabilidade de ocorrer, e o pessimista, que é ter uma epidemia global”, ressaltou. Mandetta afirmou que pela grande circulação de pessoas no mundo, é difícil saber como será a linha do tempo. “O cenário pode mudar muito rápido, por isso a manutenção da vigilância está extremamente elevada”, disse.

Aéreo
O Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (DAESP), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Logística e Transportes, registrou alta na movimentação de embarques e desembarques em 12 aeroportos administrados pelo Governo Paulista no interior do Estado. São eles: Araçatuba, Araraquara, Avaré/Arandu, Bauru/Arealva, Franca, Marília, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Sorocaba. Destes, nove têm voos comerciais. De janeiro a dezembro de 2019, comparando-se com o mesmo período do ano anterior, o aumento foi de 7,01%, passando de 2.283.541 para 2.443.638 passageiros.

Loterias
Parte do dinheiro arrecadado com as loterias poderá ter novas destinações. Estão em análise no Senado projetos de lei que ampliam os repasses já feitos pela Caixa Econômica Federal para áreas como a social, a segurança pública e a prevenção de catástrofes ambientais, por exemplo. O banco é o responsável por gerir, explorar e comercializar os jogos lotéricos desde 1962, e já redistribui o dinheiro das apostas para investimentos em setores como saúde, educação e esportes.

Loterias I
Segundo o Poder Executivo, as dez modalidades lotéricas operadas pela Caixa arrecadaram R$ 16,71 bilhões em 2019, configurando a maior soma da história dos jogos. De janeiro a setembro, o aporte somou R$ 12,11 bilhões, alta de 22,7% em relação aos R$ 9,87 bilhões do mesmo período do ano anterior. Nesses meses, o dinheiro repassado a programas de governo somou R$ 5,83 bilhões, num aumento de 23,2% em relação aos R$ 4,73 bilhões transferidos em 2018. Os dados são do Ministério da Economia.

Da Redação