Peneira Fina

PENEIRA FINA – 08/01/2019

Dengue
Os números podem não ser alarmantes, mas o tempo está propício para o aumento dos focos do mosquito Aedes Aegypti. Calor, chuva e ambientes que acumulam água. Todos os esforços para reduzir a proliferação do aedes são necessários. Em Rio Preto, por exemplo, foi registrada a primeira morte por dengue neste ano. O município vive um surto da doença. Catanduva teve sete casos suspeitos em apenas três dias em um único bairro. Medidas drásticas de prevenção precisam começar agora tanto por parte dos moradores quanto da Prefeitura que já intensificou bloqueios. Esperamos que neste ano não tenhamos um aumento expressivo da doença na cidade e nem outras doenças transmitidas pelo aedes como Chikungunya e Zika Vírus.

Sobre dissídio
Pouco se falou sobre a reunião realizada pelo prefeito Afonso Macchione Neto sobre a situação e os projetos para o dissídio. O vereador Aristides Jacinto Bruschi comentou sobre a reunião, mas ressaltou a importância do Sindicato dos Municipiários de Catanduva (Simcat) organizar uma assembleia para discutir com os servidores.

Pedidos da promotoria
No inquérito aberto pelo Ministério Público, o promotor André Luiz Nogueira da Cunha solicitou vários documentos e informações. Pediu para que Paraná indique os vereadores da base aliada que votaram pela rejeição do projeto de lei de concessão do transporte público, para a Prefeitura que envie copias de tudo o que tiver relacionado ao PL, cópia da licitação, dos contratos emergenciais e que justifique a utilização dos ônibus escolares, num prazo de 30 dias.

Retirado
O projeto de lei, de autoria do vereador Aristides Jacinto Bruschi, Enfermeiro Ari, que pretendia reduzir em 30% o valor cobrado nas tarifas de água, entrou na sessão ordinária de terça-feira, mas foi retirado pelo autor. Ari pediu para reformular a propositura, elaborada no ano passado.

Pulga atrás da orelha
Obra realizada pela RUMO nas proximidades de um condomínio fechado vem deixando a população de Catanduva com a pulga atrás da orelha. Esse serviço já foi inclusive abordado pelo vereador Aristides Jacinto Bruschi em vídeo publicado nas redes sociais. A RUMO pouco falou sobre, isso até mesmo após dois questionamentos da nossa reportagem.

O que disse
“A empresa esclarece que são obras ferroviárias, em área operacional e que não geram impactos na população. Conforme já informado, são obras de adequação ferroviária. A concessionária ressalta que segue estudando alterativas de melhorias para o transporte de cargas e também de mobilidade urbana”.

Todos querem saber
Será que esse serviço pode ter alguma relação com a possível derrubada do viaduto da rua Sete de Setembro? Toda a população quer saber o motivo desse serviço que aparentemente é feito com maquinário e aprofundamento no solo, isso bem próximo da linha férrea. Também é feita limpeza do terreno. Como a empresa pouco disse, a preocupação só aumenta. Vale ressaltar que essa derrubada, que consta em projeto da RUMO e prefeitura, foi motivo de debate e manifesto de comerciantes e moradores que abraçaram o viaduto, como forma de proteção da área que segundo eles já faz parte da história de Catanduva.

O que todos querem
O que todos querem de verdade é a retirada de fato da linha férrea do perímetro urbano de Catanduva. Já tivemos acidentes que assustaram, isso sem contar em outros casos que terminaram em tragédia na vizinha Rio Preto. Entra ano, sai ano e esse sonho dos moradores mais parece promessa em tempos de eleições. Será que algum dia os moradores poderão dormir aliviados, sabendo que não há linha férrea próximas das casas oferecendo algum perigo?

Nenhuma reunião
Falando em trilhos, desde que o novo governo federal assumiu, inclusive com a mudança da nova diretoria do Dnit, a prefeitura de Catanduva ainda não se reuniu com os novos componentes. Recentemente, declarações dos novos ocupantes do departamento alertaram para poucos investimentos na área em 2019. Cabe a prefeitura se fazer presente para a nova diretoria e demonstrar o interesse nas obras de novo contorno ferroviário. Se não forem atrás disso, nada realmente vai ser feito.

Recape
O prefeito Afonso Macchione Neto divulgou as obras de recapeamento asfáltico que tem sido realizadas. “Estamos conseguindo ampliar rapidamente o serviço de recape. Com isso, a manutenção vem sendo executada em vários pontos da cidade. A exemplo dos trabalhos em trechos de ruas no Higienópolis e da Vila Jorge, que também foram contemplados com melhorias no pavimento”. Registrado.

Da Redação