Início - PENEIRA FINA 06/04/2021
Peneira Fina

PENEIRA FINA 06/04/2021

FERIADO MUNICIPAL PODERÁ SER ANTECIPADO PARA 6ª FEIRA
Em comum acordo com o Sincomércio, o prefeito Padre Osvaldo pretende antecipar o feriado comemorativo ao aniversário de Catanduva de 14 de Abril para a próxima sexta-feira, dia 9. O secretário de administração Richard Casal informou que a iniciativa do prefeito deve favorecer os comerciantes e os comerciários da cidade, além de agradar os servidores públicos municipais, que terão outro feriado prolongar para descansar. A oficialização da antecipação do feriado depende ainda de um decreto que possivelmente será publicado hoje.

ARREMESSO SOIDÁRIO
O Bax Catanduva inicia nesta terça-feira, 06 de abril, a segunda edição do Movimento Arremesso Solidário. A ação é em parceria com o jogador catanduvense Alan Patrick, do ShakhtarDonetsk (Ucrânia), com apoio da Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo (Smelt). A primeira edição do Movimento Arremesso Solidário aconteceu em julho de 2020 e foi ‘abraçado’ pela população catanduvense, que mostrou sua solidariedade e preocupação com o próximo.

DA GESTORA DO BAX
“Não imaginaríamos que, um ano depois, estaríamos em uma situação ainda mais complicada, com a transmissão mais rápida da doença (que está mais letal) e as pessoas necessitando ficar em casa para se proteger, com os comércios fechados, desemprego”, analisa e gestora do Bax Catanduva, Natália Burian. Em um momento tão delicado, segundo ela, é preciso ter empatia pelo próximo. Aqueles que puderem, podem fazer a diferença com um gesto simples: a doação de alimentos não-perecíveis e roupas.

BOATO NA REDE
Corre nas redes sociais alguns áudios de um suposto decreto que teria sido emitido pela Presidência da República classificando de perseguidor quaisquer autoridade que impedir ou tentar fechar estabelecimentos que venham abrir contrariando os decretos vigentes nos estados e municípios da Federação. Em nota, a Guarda Civil Municipal de Catanduva, na pessoa do Comandante Claudio Pereira, esclareceu ponto a ponto sobre a Lei 14.132, de 31 de março de 2021.

NOTA DA GUARDA CIVIL MUNICIAL
Os áudios que circulam a respeito da Lei 14.132, de 31 de março de 2021, são equivocados.
1. É Lei, não Decreto.
2. A autora do projeto de lei foi a senadora Leila Barros do PSB do Distrito Federal, não o presidente Jair Bolsonaro.
3. O presidente SANCIONOU uma Lei, que significa aceitar um projeto de lei feito pelo legislativo. Essa matéria teve que passar por comissões e votações, tanto na Câmara dos Deputados como no Senado.
4. Essa Lei tem como objetivo ACRESCENTAR ao Decreto-Lei 2.848, de 7 de dezembro de 1.940, Código Penal, o crime de PERSEGUIÇÃO, que NÃO TEM RELAÇÃO AGUMA com as fiscalizações ao cumprimento dos decretos estaduais e municipais relacionados a pandemia Covid-19, seja essa fiscalização feita pela GCM (Guarda Civil Municipal), Vigilância Sanitária ou Polícia Militar.

CASTRAÇÃO DE ANIMAIS
Catanduva deveria disponibilizar serviço gratuito de castração de animais. Famílias com renda de até 1/2 salário mínimo por pessoa deveriam ter direito a castração e também ao tratamento veterinário gratuito. Essa medida permitiria que cuidadores pudessem tratar melhor seus pets e até animais de médio e grande porte. Falta vontade política do Poder Público Municipal! Há cidades que criaram até um hospital municipal para animais.

POLÍTICA PÚBLICA EVITA POLITICAGEM
A implantação de políticas públicas de saúde, inclusive em relação aos animais, evita que o tema se torne um problema na cidade. Onde o Estado fica ausente abre-se espaço para uso político. O tratamento tem que ser democrático, para todos, sem intermediação de outros interesses.

VOTUPORANGA GANHOU HOSPITAL VETERINÁRIO
Em Votuporanga a Prefeitura cedeu uma área ao Governo do Estado, onde estava localizado o Centro de Proteção da Vida Animal para que o Governo construa e aparelhe um Hospital Veterinário! Em Catanduva o tema é tratado como benemerência, quando na verdade deveria ser enfrentado pelo Prefeito, sem conotação política!

HIGIENIZAÇÃO DAS AMBULÂNCIAS
Um paciente que utiliza as ambulâncias do serviço municipal de saúde se queixou da falta de manutenção das mesmas e principalmente a falta de higienização e desinfecção das mesmas. O mesmo paciente chegou “marcar” de forma de forma estratégica vários pontos com sujeira em vários veículos e surpreendentemente ao necessitar do serviço novamente, ele notou que a sujeira estava no mesmo lugar. Estaremos encaminhando para a secretaria para que providencie com urgência e periodicamente a desinfecção de toda ambulância em uso. Para quem não sabe, o coronavirus é um vírus de superfície que pode contaminar pessoas que tiverem contato através do uso destes veículos.

GOLPE DO BOLETO FALSO
A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), órgão ligado à Secretaria de Estado da Habitação, alerta para a ação de golpistas que estão entrando em contato com mutuários pelo WhatsApp para fazer cobranças falsas. Os estelionatários se fazem passar por funcionário da CDHU, oferecem negociação da dívida com grandes descontos e enviam os boletos falsos pelo WhatsApp ou por e-mail que não pertence à CDHU. Os endereços de e-mail oficiais da CDHU terminam sempre com @cdhu.sp.gov.br ou @apoiocdhu.sp.gov.br. A empresa não usa e-mail público (ex. gmail, hotmail, ig e outros).

CDHU ALERTA
Para não ser vítima dos fraudadores, o mutuário deve estar ciente de que a CDHU não negocia nem envia boletos por WhatsApp; não solicita depósito ou transferência bancária para pagamento de boletos ou quitação de débitos; e seus boletos são emitidos apenas pela Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil, cujos códigos de barras iniciam com 104 ou 001. Outra orientação é conferir sempre o nome do titular e o endereço do imóvel impressos no boleto. Em caso de dúvida, consulte apenas os canais oficiais, como o site www.cdhu.sp.gov.br ou ligue para o Alô CDHU: 0800 000 2348. A CDHU comunica que está tomando todas as providencias necessárias para coibir a ação destes golpistas. As famílias contatadas estão sendo orientadas a fazer Boletim de Ocorrência, independentemente de terem efetuado ou não pagamentos.