Opinião

Vantagens e cuidados em renegociar dívidas com bancos

Em tempos de Black Friday, começou a denominada “Semana da Negociação e Orientação Financeira”, uma oportunidade para quem tem alguma dívida com instituições financeiras de renegociar seus débitos, com descontos e condições melhores de pagamento.
O mutirão é organizado pelo Banco Central e pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), contudo os bancos não são obrigados a aderirem o programa. Os descontos ofertados pelas instituições financeiras chegam até 92%, todavia cada banco terá sua própria porcentagem, sem um padrão definido.
Estão participando do programa: Bradesco, Banco Pan, Banrisul, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander. Algumas agências destes bancos terão o horário estendido até às 20 horas. Para quem não puder participar presencialmente, poderá acessar as plataformas digitais das instituições.
A importância dessa semana é devido ao aumento de inadimplentes no Brasil, segundo uma pesquisa realizada pelo Serasa Experian, 63,2 milhões de Consumidores estavam inadimplentes em abril deste ano, o crescimento foi de 3,2% em relação a ano passado, aumentando em 2 milhões, batendo um novo recorde.
As vantagens para os consumidores inadimplentes aderirem o programa são:
– O desconto pode ser muito vantajoso por diminuir o valor da dívida;
– Caso esteja negativado apenas por uma dívida e o banco para quem está devendo adere o programa, fazendo o acordo, poderá ter a restrição financeira retirada de seu nome;
– O score aumentará, permitindo o financiamento de algum móvel ou imóvel, ou até mesmo a contratação de um empréstimo;
– Evitar ação de execução judicial;
Todavia, é importante o consumidor ter atenção e tomar alguns cuidados para não cair em golpes, uma vez que os criminosos estão sempre atentos. Assim, a orientação é de comparecer na agência para verificar as possibilidades de descontos e evitar o pagamento de boletos enviados por e-mail, pois pode não se tratar do banco e você consumidor acabar caindo em algum golpe.
Outro fator é estudar se realmente vale a pena o desconto. Portanto, procure fazer um cálculo a fim de comparar os descontos com o valor original e sua real possibilidade de pagar e quitar a dívida. Não é interessante realizar este tipo de acordo e não paga-lo, pois apenas renovará a dívida.
Dessa forma, aqueles que estão inadimplentes e pretendem regularizar sua vida financeira, retirando a restrição de seu nome e evitando um processo judicial, devem procurar a instituição financeira responsável e verificarem se o acordo será vantajoso.

Letícia Marques
advogada do escritório Aith, Badari e Luchin Sociedade de Advogados e fundadora do blog www.possocolocarnopau.com.br

*ARTIGOS ASSINADOS NÃO REFLETEM A OPINIÃO DO JORNAL O REGIONAL