Opinião

Tempo é dinheiro?

Getúlio, ao se suicidar, alojou-se no quadro de vítima por excelência. Deixou a carta-testamento, acusando hipotético e monumental complô contra ele e seu governo.
A partir de observação feita por Benjamin Franklin, o mundo passou a acreditar que tempo é dinheiro. E tempo é dinheiro? Não. Não é. Tempo é muito mais do que dinheiro. Tempo é muito mais do que uma barra de ouro, contendo seis dezenas de pérolas.
O dinheiro pode ser guardado. O tempo, não. Dinheiro pode ser poupado. Tempo, não. O dinheiro pode ser dado, emprestado. Tempo, não. O dinheiro pode ser tomado. Tempo, não. O dinheiro pode ser poupado, armazenado, estocado, mantido em cofre, recuperado, expandido. O tempo não pode ser poupado, armazenado, estocado, mantido em cofre, recuperado, expandido.

O tempo só pode ser gasto.
Você ——— como eu, como todas as pessoas do mundo ——— só pode contar com as 24 horas de cada dia. Ainda que você tivesse toda a riqueza de um rei, não conseguiria comprar um minuto a mais de mim ou do cão faminto que, ali, remexe o lixo.
Se o tempo só pode ser gasto, todos nós temos que saber gastar bem o tempo. De maneira tão racional e inteligente quanto possível. E, para gastá-lo bem, você precisa ——— quer queira, quer ano! ——— aprender a administrá-lo.
E é esta a meta que você deve almejar: administrar o consumo do tempo, administrar inteligentemente seu tempo, do tempo de que você dispõe.
No âmbito da Administração, recurso é tudo aquilo de que você precisa para desenvolver um trabalho: pessoas, dinheiro, máquinas, matéria-prima. O tempo, via de regra, não é mencionado como recurso. No entanto, ele é o mais importante de todos os recursos, eis que é ele a matéria prima de tudo. Com ele, tudo é possível. Sem ele, nada é possível. Todos os demais recursos podem ser substituídos ou repostos. O tempo, não! O tempo só pode ser gasto. Assim, se um funcionário seu é demitido, você contrata outro. Se você perde material, manda buscar outra remessa. Se o prédio pega fogo, você apela para o seguro. Mas se você perde tempo, ele estará irremediavelmente perdido. Para sempre. Jamais poderá ser substituído ou recuperado.
Aquela barra de ouro perdida com todas as pérolas, mencionada linhas atrás, pode ser ——— ainda que em raríssimos casos ——— restituída a seu legítimo dono. Uma hora perdida, com todos seus preciosos minutos, jamais ——— e esse advérbio de tempo, aí, é usado na sua mais ampla acepção ——— poderá ser restituída a seu legítimo dono.
O tempo não deixa pegadas. Ele só se volta para rir daqueles que não lhe dão a devida importância.
O tempo, recurso à prova de furto, não pode ser tirado de você, a menos que você deixe. Alguém que venha «alugá-lo», por exemplo, explicando como é que se forma um furacão, justamente quando você não está nem um pouco interessado em deslocamentos de massa de ar. Tudo pode, de um modo ou de outro, passar a pertencer aos outros. Só o tempo é da gente.

O tempo é a grande riqueza
que possuímos.
Nossa vida é feita de tempo. Tempo e vida são avesso e direito do mesmo tecido, cara e coroa da mesma moeda, verso e anverso da mesma medalha.

Marcílio Dias
advogado vereador legislatura 2001/4
Exerceu a Presidência da OAB
Foi diretor da Faeca
Ex-diretor da Escola Superior
de Advocacia da OAB

*ARTIGOS ASSINADOS NÃO REFLETEM A OPINIÃO DO JORNAL O REGIONAL